Notícias

Médicos terão canal exclusivo dentro do Disque 100 para denunciar violações de direitos humanos

Publicado em 13/07/2020 19h43 Atualizado em 13/07/2020 20h57
Médicos terão canal exclusivo dentro do Disque 100 para denunciar violações de direitos humanos

Foto: Willian Meira/MMFDH

Um código de acolhimento prioritário será criado no âmbito do Disque 100 (Disque Direitos Humanos) e do Ligue 180 (Central de Atendimento à Mulher). É o que prevê o Acordo de Cooperação Técnica que será firmado entre o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) e o Conselho Federal de Medicina (CFM). A parceria foi anunciada pela ministra Damares Alves, nesta segunda-feira (13), durante cerimônia em celebração aos 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), no Palácio do Planalto, em Brasília (DF).

O novo canal visa ao encaminhamento de denúncias de notificação compulsória realizadas por profissionais médicos, de forma anônima. A iniciativa integra o Plano de Contingência para Crianças e Adolescentes, lançado pelo Governo Federal na ocasião.

"Precisamos proteger nossos pequenos e todos os demais grupos prioritários do ministério. Essa parceria com o CFM vem fortalecer ainda mais as ações de promoção e defesa dos direitos, além do combate à impunidade", destacou a ministra.

O acordo terá vigência de 24 meses e não prevê a transferência de recursos financeiros. Entre as obrigações, o documento explicita a realização de campanhas de sensibilização junto aos médicos e o cumprimento dos objetivos propostos no plano de trabalho.

Plano de Contingência

O Plano é uma resposta do Governo Federal aos riscos à saúde e aos desdobramentos socioeconômicos que atingem as populações mais vulneráveis durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Além do MMFDH, integram a iniciativa os ministérios da Educação (MEC), da Saúde (MS), da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), da Cidadania (MC), da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e da Defesa (MD). A Controladoria-Geral da União (CGU) e a Casa Civil, por meio do Programa Pátria Voluntária, também são parceiras da ação.

Estatuto

Sancionado em 13 de julho de 1990, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) é o principal instrumento normativo do Brasil que estabelece direitos e garantias especiais às crianças e adolescentes. Neste mês, a legislação completou 30 anos.

Canais de atendimento

Implementados pelo MMFDH, o Disque 100, o app Direitos Humanos Brasil e o site da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos (ONDH) são gratuitos e funcionam 24 horas por dia, inclusive em feriados e nos finais de semana.

Os canais funcionam como "pronto-socorro” dos direitos humanos, pois atendem também graves situações de violações que acabaram de ocorrer ou que ainda estão em curso. Por meio deles, qualquer vítima ou testemunha pode acionar os órgãos competentes e colaborar para que os autores sejam pegos em flagrante.

Assista ao vídeo da cerimônia

 

Mais informações:
Assessoria de Comunicação Social do MMFDH
(61) 99558-9277

Reportar erro