Notícias

FISCALIZAÇÃO

Anatel interrompe 38 rádios clandestinas na Grande São Paulo

Ações da agência foram motivadas por interferências na comunicação dos aeroportos da capital paulista
Publicado em 07/05/2021 17h55 Atualizado em 07/05/2021 18h34
Fiscal da Anatel apreende equipamentos em ação contra rádios clandestinas na Grande São Paulo

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), com o apoio da Polícia Militar, interrompeu a transmissão de 38 rádios clandestinas na região metropolitana da capital paulista. A primeira operação, realizada terça-feira passada (4/5), encerrou a transmissão de 19 rádios em região de Mata Atlântica no Parque Taipas, bairro da Zona Norte da cidade de São Paulo. A segunda, realizada quinta-feira (6/5), interrompeu mais 19 rádios clandestinas dentro do Parque Estadual da Cantareira no município de Mairiporã.  

Segundo os fiscais da Anatel São Paulo, as emissoras clandestinas interrompidas terça-feira ofereciam risco a voos do Aeroporto Campo de Marte e as interrompidas quinta-feira perigo à navegação aérea do Aeroporto Internacional de Guarulhos. Além disso, durante a apreensão verificou-se o uso de equipamentos não homologados para a transmissão dos sinais de rádio e péssimas condições de instalação elétrica, o que poderia causar incêndios que colocariam em risco as áreas de proteção ambiental da região da Cantareira.  

Nas ações de fiscalização, os fiscais da Anatel, além dos transmissores, identificaram diversas torres e antenas em pleno funcionamento e apreenderam 25 km de cabos de energia. As ligações clandestinas na rede elétrica foram interrompidas com o apoio de técnicos da Enel, concessionária de energia da capital paulista, e da Elektro, da cidade de Mairiporã. Na quinta-feira, a Anatel, além dos homens da PM paulista em terra, contou com o apoio do helicóptero Águia.

Fiscalização constante - Nos últimos dois anos, a Agência realizou no Parque Estadual da Cantareira 10 operações de grande porte com apoio policial, culminando na interrupção de 136 emissoras FM clandestinas, que se instalam na região em pontos de mata densa.  Além da atividade de apuração para identificação das emissoras clandestinas, os canais de atendimento da Anatel estão à disposição da população para receber denúncias de atividades irregulares de telecomunicações.