Espaço 5G

Publicado em 22/02/2021 17h48 Atualizado em 23/03/2021 18h44

A Anatel é a fonte oficial de informações sobre o leilão 5G.


bt tecnologia 5Gbt noticias 5gbt perguntas e respostasbt leilao espectro



O 5G é o mais recente padrão tecnológico para serviços móveis e a Anatel trabalha para sua plena implementação no Brasil.

Com essa nova tecnologia, as comunicações terão capacidade para transmissão de altas taxas de dados e em baixa latência, com segurança e confiabilidade.

O 5G oferece ampla gama de possibilidades a serem exploradas e vai impulsionar aplicações eficientes no desenvolvimento de serviços para as pessoas e para as mais diversas atividades econômicas.

Saiba mais sobre o 5G e o leilão de radiofrequências que vai conectar dispositivos e pessoas à próxima geração de sistemas celulares e arquitetura de rede.

Veja neste vídeo como o 5G vai revolucionar as telecomunicações:

Cada geração de tecnologias móveis teve um enfoque, geralmente voltado a um usuário humano.

A primeira geração mostrou que era possível oferecer cobertura de telefonia utilizando torres, nessa época os aparelhos celulares eram basicamente rádios de comunicação FM (o mesmo princípio de funcionamento de walkie talkies) que se conectavam a rede de telefonia fixa.

O 2G trouxe a telefonia digital para as comunicações móveis e introduziu pequenas taxas de transmissão de dados, que permitiram a transmissão de pequenos arquivos, ringtones e mensagens de texto.

O 3G foi a primeira tecnologia que permitiu ao usuário um uso de dados no celular semelhante ao nível de serviço que ele tinha ao usar uma conexão de banda larga fixa em um computador. Nessa geração sugiram as primeiras lojas de aplicativos e novos ramos da economia digital iniciaram seu desenvolvimento.

O 4G aumentou a velocidade em relação à geração anterior, e o usuário começou a ter a possibilidade de estar conectado em uma rede de alta velocidade durante todo o tempo. Isso permitiu a ida para o ambiente virtual de diversos serviços que estavam presentes no “mundo físico”: entrega de comida, chamar um veículo de transporte, compartilhamento de vídeo em alta definição e redes sociais são exemplos de aplicações que se destacaram nessa geração.

O 5G trará mudanças mais profundas para aplicações industriais e de automação do que para usuários de smartphones. Esses usuários terão à disposição taxas de transmissão média e de pico muito superiores ao 4G, mas a grande inovação da quinta geração é em aplicações comerciais (como carros autônomos, cirurgias remotas, sensores em parque industrial, entre outras).

Será aberta nova gama de possibilidades a serem exploradas que vão impulsionar aplicações eficientes no desenvolvimento de serviços para as mais diversas atividades econômicas.

A nova tecnologia possui 3 modos de uso:

1. Banda Larga Móvel avançada: focada em altas velocidades de download e upload, para as novas necessidades do usuário comum.

2. Controle de Missão Crítica: focada em prover conexão com baixíssima latência e altíssima confiabilidade, voltada para aplicações sensíveis a atrasos e erros como carros autônomos, cirurgias remotas, controle remoto de maquinário industrial.

3. Internet das Coisas Massiva: focada em atender grande quantidade de dispositivos IoT, com grande cobertura e baixo consumo de bateria, levando a Internet das Coisas a um novo patamar de atendimento.

Diagramada formado por 3 conjuntos interconectados.Conjunto 1: Internet das Coisas (Cobertura ampla, Baixíssima complexidade e Altíssima densidade); Conjunto 2: Controle de Missão crítica (Forte segurança, alta confiabilidade, baixíssima latência e máxima mobilidade. Conjunto 3: Banda larga móvel avançada (Capapcidade extrema, percepção extrema e máxima taxa de dados). Fonte: adaptado de ITU-R M.2083-0, de setembro de 2015.

Saiba mais sobre o leilão de radiofrequências do 5G que vai conectar dispositivos e pessoas à próxima geração de sistemas celulares e arquitetura de rede.