Notícias

Rios +Limpos

Força-tarefa retira mais de 12 toneladas de lixo em rios e bacias do Pantanal

Mutirão do programa Rios +Limpos também busca apoio da população na preservação do meio ambiente
Publicado em 01/10/2021 14h12 Atualizado em 05/10/2021 14h54
RIOS MAIS LIMPOS_1000.jpg

Foto: Zack/MMA

Janela, TV e ventilador são alguns dos itens encontrados em rios e bacias que percorrem os municípios de Várzea Grande e Barão de Melgaço, no Mato Grosso, durante mutirões de limpeza realizado entre os dias 16, 17 e 18 de setembro. Caminhões e até uma chalana, embarcação típica do Pantanal, foram usados na ação, que coletou mais de 12 toneladas de lixos.

A força-tarefa, composta por 130 voluntários, é uma ação do recém-criado programa do Governo Federal chamado Rios +Limpos, encabeçado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), e que conta com parcerias de prefeituras e governos estaduais. O mutirão também tem a proposta de conscientizar a população local para fazer parte dessa rede de apoio em favor do meio ambiente e da economia regional. Cerca de 30% dos resíduos sólidos urbanos podem ser reciclados, segundo o secretário de Qualidade Ambiental do MMA, André França. “Muito do que é jogado em encostas, rios e lixões pode ser transformado em outros produtos novos, isto é o que a gente espera: estimular a cadeia produtiva, gerando emprego e renda para quem trabalha com o setor de recicláveis”, afirmou.

Ação educativa

“O Rio começa aqui”. Essa é a frase escrita em bocas de lobo pelos voluntários junto com pinturas de animais típicos do Pantanal, como a onça pintada. Além de trazer arte a pequenos vilarejos, a iniciativa mobiliza moradores a serem os protagonistas da ação. “Fazemos esse exercício de cidadania ambiental para mostrar que, se o rio está poluído, os moradores serão os primeiros prejudicados. Muitas famílias de pescadores tiram o sustento dali”, alertou o secretário.

Do lixo recolhido durante os três dias da força-tarefa, mais de 80% foi retirado dos rios Cuiabá e Mutum, além das bacias de Chacoré e Siamariana, e em terrenos próximos à Barão do Melgaço e de povoados da Ilha do Piraim, da Barranqueira, da Praia dos Bois, do Poço General, do Estirão Comprido, do Porto São João, do Porto Brandão, de Cuiabá Mirim, da Vila Nova, Cangá, da Concha e de Curutuba.

Houve ainda o recolhimento de quase uma tonelada de resíduos em uma faixa de oito quilômetros do Rio Cuiabá, conhecida por Passagem da Conceição, e 520 quilos de materiais na orla do rio. Todo o lixo coletado foi triado, sendo que os recicláveis foram destinados a associações de catadores do pantanal mato-grossense e os inutilizáveis, para um aterro sanitário da região.

Esse foi o primeiro mutirão de limpeza do programa Rios +Limpos. A ideia do Ministério do Meio Ambiente é programar uma operação semelhante pelo menos uma vez por mês pelo país. “Estamos em tratativas para que Rondônia e Amazonas recebam nossa visita nos próximos meses”, contou França.

Rios +Limpos

Lançado em outubro, o programa integra a Agenda Ambiental Urbana, idealizada pelo ministério em 2019, para levar mais qualidade de vida aos centros urbanos. O Rios +Limpos propõe a melhoria da gestão de resíduos industriais e domésticos descartados no meio ambiente e do saneamento básico. A partir de uma plataforma digital, dados sobre a qualidade das águas, por exemplo, podem ser usados para nortear ações de despoluição de rios.

Ascom MMA

Meio Ambiente e Clima