Notícias

Balanço

Atuação integrada do Governo Federal fortalece combate a incêndios e desmatamento ilegal

Ministério do Meio Ambiente trabalha em parceria com demais ministérios e Conselho da Amazônia para enfraquecer o crime organizado e proteger os biomas brasileiros
Publicado em 01/09/2021 09h14
anúncio (1).jpg

Foto: Izabela Bruzaca/MMA

Nesta terça-feira (31), os ministros do Meio Ambiente, Joaquim Leite, da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, e da Casa Civil, Ciro Nogueira, se reuniram no Palácio do Planalto para reforçar o posicionamento do Governo Federal frente às queimadas e ao desmatamento ilegal. O chefe do MMA destacou o compromisso assumido pelo presidente Jair Bolsonaro na Cúpula do Clima 2021, realizada em abril. 

“O presidente Bolsonaro determinou dobrar os recursos para a fiscalização dos crimes ambientais e isso já foi realizado. Eram R$ 228 milhões e agora são R$ 498 milhões”, pontuou Leite. “Nós já estamos utilizando esses recursos para comprar equipamentos como notebooks, câmeras, aeronaves remotas e drones para fortalecer a fiscalização.” 

O ministro ponderou ainda que, a pedido do Presidente da República e com o apoio da Casa Civil, o Ministério da Economia autorizou a contratação de 700 novos servidores para atuarem no Ibama e ICMBio. “São, aproximadamente, mais R$  200 milhões para combater o desmatamento ilegal”, afirmou. 

Outra ação que ganhou destaque no pronunciamento foi o sucesso da Operação Guardiões do Bioma, realizada em parceria com os ministérios da Justiça e Segurança Pública e do Desenvolvimento Regional. “Preventivamente, o Governo Federal está disponibilizando 6 mil brigadistas. Já tínhamos 3,2 mil homens do Ibama e ICMBio e agora estaremos disponibilizando mais 6 mil”, disse o ministro. 

Ação integrada, a Operação Guardiões do Bioma ocorre entre os meses de agosto e novembro, conforme a necessidade e demanda dos estados. O foco concentra-se nos estados do Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e Goiás.

O ministro do Meio Ambiente informou também que na semana passada foi entregue o primeiro de 15 caminhões bombeiros especialmente desenhados para a proteção dos biomas brasileiros.

Redução do desmatamento

Segundo Joaquim Leite, os diversos órgãos do governo atuam juntos para zerar o desmatamento ilegal. E os dados recentes sobre desmatamento mostram que a integração de forças do Governo Federal tem produzido resultados positivos.

“No mês passado, em julho, tivemos uma queda em relação aos dados do Deter, do ano passado para esse, de 10%. E no mês de agosto, previamente, estamos com números de aproximadamente 30% de redução em relação ao ano passado. Isso é algo bastante significativo para nós”, pontuou o ministro do Meio Ambiente.

Para ajudar na identificação dos criminosos que atuam nas áreas desmatadas, há um esforço conjunto que envolve também o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações no aprimoramento dos sistemas que monitoram as florestas em tempo real, conforme explicou Joaquim Leite: “Hoje, através de uma parceria do INPE, Censipam, Cenima e Brasil Mais, do Ministério da Justiça, conseguimos atuar em flagrante, monitorando essas áreas diariamente.”  

Antes de finalizar sua participação, Joaquim Leite agradeceu o Conselho da Amazônia, comandado pelo Vice-Presidente da República, Hamilton Mourão, pelo empenho no combate ao desmatamento. “Eu gostaria de fazer um agradecimento especial ao vice-presidente Mourão no Conselho da Amazônia, que tem atuado conjuntamente, articulando e coordenando as operações para que esse resultado seja atingido”. 

Atuação integrada

O ministro da Justiça, Anderson Torres, reforçou que todo o aparato de combate a crimes tem sido empregado pela pasta no combate aos ilícitos contra o meio ambiente. “Pelo Ministério da Justiça, atuaremos com a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, com a Força Nacional e a Funai [Fundação Nacional do Índio]. Usaremos todo nosso aparato voltado à repressão desses crimes, principalmente os crimes ambientais”, disse.

Torres informou que, atualmente, a Força Nacional participa de 14 operações na Amazônia Legal. E que foram feitos investimentos de R$ 49 milhões na tecnologia do Programa Brasil Mais, que auxilia a Polícia Federal e as polícias estaduais na identificação de crimes ambientais.

Ascom MMA
(61) 2028-1227

Com informações da Secom

 

Meio Ambiente e Clima