Notícias

SALVAGUARDA

Artesãs participam de seminário sobre o Modo de Fazer Cuias do Baixo Amazonas (PA)

Evento vai debater estratégias de proteção e valorização do bem; as inscrições são gratuitas.
Publicado em 07/06/2021 13h40
Modo de Fazer Cuias

Ornamentação das cuias (Foto: Acervo Iphan)

Entre os dias 7 e 8 de junho, a Associação das Artesãs Ribeirinhas de Santarém (Asarisan) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) promovem o II Seminário do Plano de Salvaguarda do Modo de Fazer Cuias do Baixo Amazonas. Realizado em formato virtual e com transmissão pelo canal Cuias Aíra no YouTube, o evento vai discutir estratégias de proteção e valorização do bem. Com inscrições gratuitas, o seminário emitirá certificados aos participantes.

Como parte da programação do seminário, nesta segunda-feira, 7, a partir das 18 horas, será realizado o webinário “A salvaguarda do Modo de Fazer Cuias do Baixo Amazonas: patrimônio cultural e acesso a mercados”, com a participação do Prof. Dr. Ricardo Gomes Lima, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro; da Profa. Dra. Lucia Hussak van Velthem, do Museu Parense Emílio Goeldi (MPEG); e da mestra artesã Lélia Almeida Maduro (Asarisan).

Já na terça-feira, 8, nos turnos da manhã e da tarde, representantes de instituições convidadas estarão reunidos em dois Grupos de Trabalho (GT) para discutir as estratégias de divulgação e fortalecimento da marca coletiva Aíra e, ainda, a criação e consolidação de mercados para o artesanato de cuias. Os links para acesso aos GT serão comunicados apenas às instituições que confirmarem participação.

Cuias do Baixo Amazonas(Foto: Alexandre Rocha)O II Seminário do Plano de Salvaguarda do Modo de Fazer Cuias do Baixo Amazonas faz parte do projeto “Salvaguarda do Modo de Fazer cuias no Aritapera, Baixo Amazonas, Pará”, selecionado no Edital Patrimônio Imaterial – Lei Aldir Blanc. O evento conta com a parceria do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular (CNFCP/Iphan), da Associação Cultural de Amigos do Museu de Folclore Edison Carneiro (Acamufec), do Núcleo de Estudos Interdisciplinares em Sociedades Amazônicas, Cultura e Ambiente (Sacaca) e da Diretoria de Cultura da Pró-Reitoria da Cultura, Comunidade e Extensão (Procce) da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa).

O evento também é alusivo ao aniversário de fundação da Asarisan, que em 2021 completa 18 anos. Desde 2003, a associação tem cooperado com o Iphan em vários projetos e ações que contribuem para a valorização do artesanato tradicional de cuias tingidas e ornamentadas. A Asarisan foi também a proponente do registro do Modo de Fazer Cuias do Baixo Amazonas como Patrimônio Cultural do Brasil, efetuado pelo Iphan em 2015, e tem participado ativamente na implementação do respectivo plano de salvaguarda.

Modos de Fazer Cuias do Baixo Amazonas

A prática de fazer cuias é fruto do conhecimento indígena na região amazônica há mais de dois séculos, sendo hoje um ofício conduzido por mulheres em comunidades do Baixo Amazonas, no Pará. Utilizadas por populações amazônicas para tomar banho, cozinhar, desalagar a canoa e tomar tacacá, por exemplo, as cuias são produzidas a partir dos frutos da cuieira, árvore comum na região. 

“O tradicional modo de fazer cuias na região caracteriza-se por um longo processo de manipulação de recursos naturais, em especial a casca do cumatê e, evidentemente, a própria cuia”, define o dossiê de registro do bem, citando etapas do trabalho como a retirada dos frutos da cuieira, corte e limpeza do fruto, tingimento, lavagem e ornamentação. “Esse processo tradicional é dominado e praticado por mulheres, constituindo até hoje (...) um ofício exclusivamente feminino.”

Serviço:
II Seminário do Plano de Salvaguarda do Modo de Fazer Cuias do Baixo Amazonas
Data:
7 e 8 de junho de 2021
Inscrições: Formulário digital
Transmissão: Canal Cuias Aíra no YouTube

Programação:

Webinário “A salvaguarda do Modo de Fazer Cuias do Baixo Amazonas: patrimônio cultural e acesso a mercados”
Data: 7 de junho, às 18 horas
Palestrantes:
Prof. Dr. Ricardo Gomes Lima (UERJ)
Profa. Dra. Lucia Hussak van Velthem (MPEG)
Mestra artesã Lélia Almeida Maduro (Presidente da Asarisan)
Coordenadora: Euceline Maria Caldeira de Sousa (Asarisan)
Debatedora: Profa. Dra. Luciana Gonçalves de Carvalho (Sacaca/Ufopa)

Grupos de Trabalho
Data: 8 de junho, das 9 às 18 horas
Link do Google Meet será enviado oportunamente às instituições que confirmarem participação. 

Cultura, Artes, História e Esportes