Notícias

Anvisa propõe restrição de uso de vacinas que utilizam vetor adenoviral em gestantes

No caso das gestantes, além da vacina Oxford/AstraZeneca/Fiocruz, outras vacinas que utilizam vetor adenoviral, como a vacina da Janssen, também não devem ser utilizadas.
Publicado em 02/07/2021 15h08 Atualizado em 02/07/2021 16h17

Em atualização ao Comunicado GGMON 006/2021, a Anvisa mantém a recomendação pela continuidade da vacinação com os referidos imunizantes, uma vez que, até o momento, os benefícios das vacinas superam os riscos associados à infecção por Covid-19.

No caso das gestantes, além da vacina Oxford/AstraZeneca/Fiocruz, outras vacinas que utilizam vetor adenoviral, como a vacina Janssen, também não devem ser utilizadas.

É importante destacar as seguintes recomendações aos profissionais e serviços de saúde:

1. As gestantes não devem ser imunizadas com vacinas de vetor adenoviral, que incluem as vacinas Oxford/AstraZeneca/Fiocruz e Janssen.

2. Apesar do baixo risco de ocorrência de trombose com trombocitopenia (TTS), que pode ocorrer em 0,1% a 0,5% do total de vacinados, há a necessidade de se instituir medidas para a identificação precoce de casos suspeitos e a intervenção oportuna para uma melhor evolução clínica.

Os sinais e sintomas associados à TTS mais frequentes são falta de ar, dor no peito, inchaço na perna, dor abdominal persistente e sintomas neurológicos, como dores de cabeça fortes e persistentes (que não cedem ao uso de analgésico) ou visão turva.

Após o uso das vacinas contra Covid-19, qualquer pessoa que apresente os sintomas citados anteriormente deve procurar atendimento médico imediato.

A Anvisa reforça a relação benefício-risco favorável das vacinas contra Covid-19 autorizadas para uso no país, sendo essencial a continuidade da imunização da população.

Confira o Comunicado GGMON 006/2021 na íntegra.

Saúde e Vigilância Sanitária

Conteúdo relacionado