Denominações Comuns Brasileiras

DCB - Denominações Comuns Brasileiras

Denominação Comum Brasileira (DCB) é a denominação do fármaco ou princípio farmacologicamente ativo aprovada pelo órgão federal responsável pela vigilância sanitária (Lei n.° 9.787/1999). Atualmente, com o advento do registro eletrônico, adquiriu uma concepção mais ampla e inclui também a denominação de insumos inativos, soros hiperimunes e vacinas, radiofármacos, plantas medicinais, substâncias homeopáticas e biológicas. 

Lista das Denominações Comuns Brasileiras

Lista Consolidada das DCB - atualizada em 12/08/2020

Notas Explicativas:

Nota1. A Lista Consolidada das Denominações Comuns Brasileiras (DCB) substitui as seis listas anteriormente publicadas. Nessa lista foram reunidas as informações dispostas nas seis listas, bem como foram acrescentadas informações sobre o histórico de inclusões, retificações, alterações e exclusões de DCB, a partir da publicação da Resolução da Diretoria Colegiada – RDC nº 64, de 28 de dezembro de 2012.

Nota2Ressaltamos que as nomenclaturas tachadas não são vigentes, conforme respectivas publicações no Diário Oficial da União.

Nota3. Legenda da Classificação: BIO – produtos biológicos; EXA – excipientes e adjuvantes; HOM – homeopáticos; IFA – insumos farmacêuticos ativos; PM – espécies vegetais; RAD – radiofármacos; INF – insumos farmacêuticos não classificados no processo de estabelecimento de DCB.

Nota4. Ressaltamos que a classificação do insumo adotada na Lista Consolidada das DCB não guarda relação com qualquer aprovação da Anvisa de uma finalidade de uso para o insumo. A finalidade de uso aplicada aos insumos é aprovada pela Anvisa por meio de atos específicos, concedidos após avaliação e aprovação de produtos pela área de registro da Anvisa.

Nota5Última atualização da Lista: Resolução da Diretoria Colegiada – RDC nº 411, de 10 de agosto de 2020. 

Formulário para inclusão, alteração ou exclusão de Denominação Comum Brasileira-DCB

Referências bibliográficas

Identificadores da principal referência bibliográfica utilizada na definição de uma DCB

Identificador

Nome ou Abreviatura

Referência

Ref. 1

INN

WHO. International Nonproprietary Names (INN) for Pharmaceutical Substances - Cumulative List Nº. 107. Geneva: World Health Organization, 2012.

Ref. 2

USAN

USP Dictionary of USAN and International Drug Names. 2012. Rockville(MD): United States Pharmacopeial Convention, 2012.

Ref. 3

Merck Index

O'Neil MJ (Ed). The Merck Index. 14th ed. Whitehouse Station(NJ): Merck & Co., Inc, 2006

Ref. 4

Martindale

Sweetman S (Ed), Martindale: The Complete Drug Reference. London: Pharmaceutical Press. 36th edition, Thomson Micromedex, Greenwood Village, Colorado, USA.

Ref. 5

Index Nominum

Micromedex® Healthcare Series [Internet database]. Greenwood Village, Colo: Thomson Healthcare. Atualizado periodicamente.

Ref. 6

Missouri Botanical Garden

Disponível em http://www.tropicos.org

Ref. 7

Handbook of pharmaceutical excipients

Rowe, R. C., Sheskey, P. J., Quinn, M. E. Handbook of Pharmaceutical Excipients. 6th edition. 2009 London, UK: Pharmaceutical Press e Washington, DC: American Pharmacists Association.

Ref. 8

Farmacopeia Brasileira

Nomenclatura adotada pela Comissão da Farmacopeia Brasileira, baseada em referências científicas, na ausência do número de registro CAS (Chemical Abstract Service Registry Number) e dos outros compêndios.

Ref. 9The Plant List

Disponível em http://www.theplantlist.org/

Ref. 10USP-NF

The United States Pharmacopeial Convention. United States Pharmacopeia-National Formulary (USP-NF)

Ref. 11Flora do Brasil 2020

Disponível em: http://floradobrasil.jbrj.gov.br/

Ref. 12Ph. Eur.

European Pharmacopoeia (Ph. Eur.)