Notícias

Primeira Infância

Programas "Criança Feliz" e "Conta pra mim" ajustam parceria em prol da Primeira Infância

Início do trabalho conjunto entre ministérios da Cidadania e da Educação será já no primeiro trimestre, com entrega de materiais didáticos e livros nas visitas domiciliares
Publicado em 13/01/2021 16h32 Atualizado em 15/01/2021 12h17
1 | 2
Equipes dos ministério da Cidadania e da Educação: parceria. Foto: Ronaldo Caldas/Min. Cidadania
2 | 2
Kit do Conta Pra Mim que vai passar a fazer parte das visitas do Criança Feliz. Foto: Ronaldo Caldas/Min. Cidadania
13012021_kit_crianca_feliz_equipe.jpeg
13012021_kit_crianca_feliz.jpeg

Na tarde desta quarta-feira, 13.01, foi firmada parceria entre os programas Criança Feliz, do Ministério da Cidadania, e Conta pra Mim, do Ministério da Educação. Os dois projetos têm como foco o desenvolvimento de crianças na Primeira Infância, que abrange a faixa etária de zero a seis anos. A ideia é levar o conteúdo de literacia familiar do Conta pra Mim para as visitas domiciliares a famílias em vulnerabilidade do Criança Feliz. Visitadores receberão treinamento e kits com livros e materiais didáticos a serem entregues às crianças.

Através da leitura a gente trabalha valores que são importantes para a família. Quando você estimula e separa um momento para ler para seu filho, você fortalece o vínculo, trabalha a linguagem e faz com que a criança também trabalhe a sua imaginação”

Luciana Siqueira, secretária nacional de Atenção à Primeira Infância do Ministério da Cidadania

“A parceria do Criança Feliz com o Conta pra Mim é de uma expectativa grande, porque a gente já tem a compreensão de que a família é importante para o desenvolvimento infantil, tanto no fortalecimento da questão afetiva, de preparar a criança para que ela seja uma criança segura, saudável, que não tenha dificuldades de relacionamento. A literacia familiar, além de fortalecer esse vínculo, vem para somar na questão do trabalho com a  linguagem”, afirmou Luciana Siqueira, secretária nacional de Atenção à Primeira Infância.

Ainda no primeiro trimestre de 2021, os visitadores do Criança Feliz receberão treinamento do Conta pra Mim e logo poderão aplicar novas dinâmicas com as famílias visitadas. As crianças também passarão a receber um kit com dois livros literários, materiais como giz de cera e bloco de desenho, um calendário para que as famílias façam o acompanhamento das leituras e uma cartilha de orientações para os pais incorporarem e aprenderem quais são as práticas de literacia familiar e implementarem com os filhos em casa.

“A nossa expectativa é que o Criança Feliz saia fortalecido, dando mais ênfase aos aspectos de desenvolvimento cognitivo e linguístico das crianças, fazendo uma ponte entre a assistência social e a área de educação”, afirma Eduardo Federizzi Sallenave, coordenador Geral de Monitoramento e Avaliação Educacional da Secretaria de Alfabetização do Ministério da Educação. Para ele, a importância da parceria está na união de esforços para o melhor desenvolvimento das crianças no Brasil. “A gente sabe que, quando o assunto é primeira infância, a transversalidade é fundamental. É preciso mobilizar os diferentes equipamentos do poder público para auxiliar as famílias, seja serviço de saúde, de educação, seja a área de assistência social.”

O Criança feliz é um programa do Governo Federal que trabalha o desenvolvimento infantil, habilidades cognitivas e motores das crianças, além do fortalecimento da parentalidade (vínculo e papel dos cuidadores na vida da criança), tudo por meio de brincadeiras propostas pelos visitadores, a partir da visitação domiciliar às famílias. O Conta pra Mim é um programa de promoção da literacia familiar, que consiste em um conjunto de práticas para o desenvolvimento da linguagem oral e escrita da criança, o estímulo à leitura e o reforço nos elos afetivos entre pais e filhos.

“Através da leitura a gente trabalha valores que são importantes para a família. Quando você estimula e separa um momento para ler para seu filho, você fortalece o vínculo, trabalha a linguagem e faz com que a criança também trabalhe a sua imaginação”, complementa a Luciana Siqueira, reforçando que a aprendizagem da linguagem oral, da leitura e da escrita começa em casa. “As nossas crianças não podem deixar de imaginar. A gente vive num mundo de muita informação, onde as crianças têm acesso a muita coisa. Por isso, a parceria é um casamento perfeito: o estímulo da leitura, da escrita, da compreensão e da oralidade”.

Diretoria de Comunicação – Ministério da Cidadania