Brincando com Esporte

Publicado em 06/12/2019 18h49 Atualizado em 02/01/2020 11h36

 

O Brincando com Esporte é desenvolvido pela Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (SNELIS) da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania e oferece a crianças e adolescentes de diversas regiões do Brasil, nos dois períodos anuais de férias, opções de esporte e lazer que preencham o tempo livre de forma prazerosa e construtiva, por meio do desenvolvimento de atividades lúdicas, esportivas, artísticas, culturais, sociais e turísticas.

Foto: Ramon Moreira/Secretaria Especial do Esporte


Por meio de edital, o governo federal seleciona propostas de entes públicos (estaduais, municipais e distrital) e de instituições públicas (federais, estaduais, municipais e distritais). A partir de um Termo de Convênio ou de Termo de Execução Descentralizada (TED), as entidades recebem recursos para implantar e desenvolver as atividades com núcleos de pelo menos 200 participantes, com o requisito de lanche diário e oferta de um passeio por edição.

As entidades interessadas devem apresentar o Plano de Trabalho com justificativa para celebração o convênio, descrição completa do objeto a ser executado, metas a serem atingidas, etapas da execução, compatibilidade de custos com o objeto a ser executado, cronograma de execução e plano de aplicação dos recursos.

Definição

É uma ação voltada para crianças e adolescentes que ocorre nos dois períodos anuais de férias escolares, com a oferta de atividades físicas, esportivas, recreativas, lúdicas, artísticas, culturais, sociais e turísticas.

 

Objetivo

Democratizar o acesso aos eventos de esporte e lazer para pessoas de todas as idades.

Como funciona?

Devem ser criados ambientes de convivência lúdica, de lazer e de desafios, utilizando os equipamentos públicos e sociais dos parceiros envolvidos ou, ainda, espaços privados cedidos para a finalidade (como escolas, centros esportivos, parques, clubes, praças e quadras esportivas), que apresentem condições adequadas para o desenvolvimento das atividades.

A quem se destina?

Crianças e adolescentes, de seis a 17 anos, incluindo pessoas com deficiência nessa faixa etária.

Quem pode solicitar?

Entes públicos (governos de estado, prefeituras e instituições públicas de ensino superior).

Como pleitear?

Por meio de edital de chamamento público para concorrer ao programa. O recurso também pode ser pleiteado mediante indicação de emenda parlamentar.