Conheça o grupo “Tributos a Elas”

trib_elas.pngO grupo tem como objetivo estudar, pesquisar, debater e dar visibilidade para as mulheres em várias dimensões

Em 11 de dezembro de 2019 surgiria, dentro da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, o grupo “Tributos a Elas”. Pesquisas vem demonstrando ao longo dos anos que socialmente, economicamente e profissionalmente há muito a ser feito para melhorar a situação das mulheres. Pensando nisso, o grupo “Tributos a Elas” tem a intenção de estudar, de debater e de dar visibilidade a algumas dessas questões, dentro e fora da instituição.

O grupo foi iniciado pelas Procuradoras Herta Rani, Lana Borges, Renata Barroso, Núbia Castilhos e Sará Carcará. Atualmente a comissão interina também conta com as Procuradoras Adriana Gomes, Andrea Barreto, Camilla Cabral, Ediara Barreto, Graziela Honorato e Maíza Souza.

Para parcerias em eventos tributários, informações ou sugestões entre em contato pelo instagram (@tributosaelas) ou pelo e-mail ().

Como começou o Tributos a Elas

Tudo teve início quando duas Procuradoras da Fazenda Nacional, Herta Rani e Lana Borjes, conversavam sobre igualdade entre homens e mulheres, sobre dificuldades enfrentadas pelas mulheres em seus ambientes de trabalho e na vida, o pouco número de mulheres palestrantes em eventos de direito tributário e ocupantes de altos cargos da alta administração pública (cerca de 19% segundo pesquisas).

A conversa sobre igualdade de tratamento entre homens e mulheres, e sobre as dificuldades enfrentadas por mulheres de todos os tipos, credos e cores, começou a virar rotina. Resolveram, então, formar o grupo "Tributos a Elas" e chamar mais gente para conversar sobre o assunto. Logo em seguida começaram a realizar debates sobre o dever de cuidado dentro da família, os problemas que as mulheres enfrentam pela sobrecarga de tarefas, os obstáculos que encontram para ascenderem profissionalmente, sobre desigualdades e injustiças nas cobranças tributárias e outros temas. Desde então não pararam mais.

A iniciativa é aberta a novos integrantes e desde o seu início contou com o integral apoio de José Levi Mello do Amaral Júnior, atual Advogado-Geral da União, na época Procurador-Geral da Fazenda Nacional, da Subprocuradora-Geral e dos Procuradores-Gerais Adjuntos da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional que assinaram carta conjunta apoiando o projeto.

Vale destacar que o projeto contou com grande apoio institucional, dentre eles:

  • José Levi Melo do Amaral Júnior, Advogado-Geral da União;
  • Ricardo Soriano de Alencar, Procurador-Geral da Fazenda Nacional
  • Adriana Gomes de Paula Rocha, Procuradora-Geral Adjunta de Consultoria e Estratégia da Representação Judicial;
  • Fabiano de Figueiredo Araújo, Procurador-Geral Adjunto de Consultoria de Pessoal, Normas e Patrimônio;
  • Cristiano Neuenschwander Morais, Procurador-Geral Adjunto de Gestão da Dívida Ativa da União e do FGTS;
  • Iêda Aparecida de Moura Cagni, Secretária-Geral de Administração da AGU;
  • Maíra Souza Gomes, Procuradora-Geral Adjunta de Consultoria Fiscal, Financeira Societária e Econômico-Orçamentário;
  • Mario Augusto Carboni, Procurador-Geral Adjunto de Consultoria de Previdência, Emprego e Trabalho;
  • Simone Anacleto, Procuradora-Geral Adjunta de Consultoria de Produtividade, Competitividade e Comércio Exterior;
  • Phelippe Toledo Pires de Oliveira, Procurador-Geral Adjunto de Consultoria e Contencioso Administrativo-Tributário.