Irrigação

 


Historicamente, a irrigação possibilitou o desenvolvimento de diversas civilizações, regiões e países, trazendo, principalmente, segurança para a produção, para a alimentação e para o comércio dos povos que souberam utilizar a água para a produção agrícola.

Segundo dados da International Commission on Irrigation and Drainage (ICID), a China é o país com maior área irrigada do mundo, com 65 milhões de hectares, seguido da Índia, Estados Unidos e Paquistão, esse último, com 19 milhões de hectares irrigados.

O Brasil, mesmo com um potencial estimado em 30 milhões de hectares, irriga apenas 7 milhões de hectares (Mha), aproximadamente, e ocupa a sétima posição mundial.

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) é responsável pela condução da Política Nacional de Irrigação, Lei n°12.787, de 11 de janeiro de 2013, conforme preconiza a Lei n°13.844, de 18 de junho de 2019.

Nesse sentido o MDR possui diversas ações voltadas a expansão da irrigação para o desenvolvimento regional, tais como: os Polos de Produção Irrigada e os Projetos Públicos de Irrigação. Além disso, de modo a possibilitar um maior intercâmbio de informações e de articulação entre o poder público e o setor da irrigação o MDR dispõe da Câmara Técnica-Setorial de Produção Irrigada, Portaria n°137, de 23 de janeiro de 2020.

Polos de Irrigação


A Portaria MDR n° 1.082, de 25 de abril de 2019, estabelece a iniciativa Polos de Produção Irrigada como parte integrante das ações de implementação da Política Nacional de Irrigação e de incentivo ao desenvolvimento regional, indicando as ações para reconhecimento dos polos.

. FOTO: ADALBERTO MARQUES/MDRFoto: Adalberto Marques/MDR


Foto: Adalberto Marques/MDR

Projetos de Irrigação


Os Projetos Públicos de Irrigação – PPIs, implantados com recursos públicos desde a década de 60, na sua gênese, foram concebidos como instrumentos de desenvolvimento socioeconômico, tendo como premissa a geração de empregos, aumento da renda e redução da pobreza. Em muitos casos, especialmente no semiárido brasileiro, além das infraestruturas de irrigação foram ofertados os serviços sociais básicos, tais como saneamento, educação, saúde, transportes e segurança pública.