Celpe-Bras

  • Antes da inscrição
    • Qual é o prazo de validade do exame?

      As instituições e os órgãos governamentais determinam o uso dos resultados e se haverá prazo de validade para o Celpe-Bras. O Inep tem a responsabilidade de promover a realização do exame com qualidade.

    • Como é definido o número de vagas por posto?

      Os coordenadores dos postos aplicadores determinam o número de vagas de acordo com a infraestrutura e os recursos humanos disponíveis. Quando o número máximo é atingido, o sistema impede que novas inscrições sejam realizadas.

    • Quem pode fazer o Celpe-Bras?

      A participação é voluntária, destinada a estrangeiros e brasileiros, residentes no Brasil ou no exterior, cuja língua materna não seja a língua portuguesa.

    • Onde posso realizar o Exame?

      Há 126 postos aplicadores credenciados no Brasil e no exterior, no entanto, apenas os postos que abriram vagas para a edição podem ser selecionados no sistema. A lista com todos os locais onde você poderá realizar o Exame está no edital. A relação dos credenciados também pode ser consultada em: Postos Aplicadores Brasil e Postos Aplicadores Exterior.

      ATENÇÃO: Escolha bem o posto aplicador onde fará o exame, pois não é permitido se inscrever em um local e realizar a prova em outro.

    • Qual é a estrutura do Exame?

      O Celpe-Bras avalia o desempenho do participante no uso da língua portuguesa em atividades que integram a compreensão oral, a leitura, a produção oral e a produção escrita. O exame é composto por duas partes:
      a) parte escrita;
      b) parte oral.

    • Como é a parte escrita?

      A parte escrita é composta por quatro tarefas e deverá ser realizada em até três horas. Veja o quadro a seguir:

      TAREFA  INSUMO  HABILIDADES  DURAÇÃO

      I

      Vídeo

      Compreensão oral e produção escrita

      30 minutos

      II

      Áudio

      Compreensão oral e produção escrita

       

      III

       

       

      2 horas e 30 minutos

      IV

      Texto Escrito

      Leitura e produção escrita

       
    • Como é a parte oral?

      A parte oral é uma conversa de 20 minutos com um avaliador-interlocutor, na presença de um avaliador-observador, que não interfere na conversa. Nos primeiros cinco minutos, a conversa é sobre informações gerais do participante. Nas etapas posteriores, a conversa se baseia em diferentes temas propostos, a partir de diferentes gêneros textuais que mesclam linguagem verbal e não verbal (capas de revista, cartuns, fotos, etc).

      ETAPA CONTEÚDO HABILIDADES DURAÇÃO

      I

      Conversa baseada nas informações fornecidas pelo participante ao responder o questionário

      Compreensão e produção oral 

      5 minutos

      II

      Conversa sobre três temas diferentes 

      Compreensão e produção oral 

      15 minutos

      ATENÇÃO: O questionário que o participante responde no ato da inscrição serve de base para facilitar a primeira etapa da parte oral, por isso é fundamental que ele seja o mais detalhado possível.

       

    • É possível fazer o exame em condições especiais?

      A legislação brasileira garante o atendimento específico a gestantes, lactantes, idosos e/ou pessoas com condições específicas e atendimento especializado para pessoas com baixa visão, cegueira, visão monocular, deficiência física, deficiência auditiva, surdez, deficiência intelectual (mental), surdocegueira, dislexia, déficit de atenção e/ou autismo.

      As opções de atendimento especializado encontram-se no sistema de inscrição; mas, para garantir seu direito, você deverá apresentar documento que comprove o tipo de atendimento e o recurso solicitado. Esse documento deve ser enviado por meio do sistema, dentro do período de inscrição, e conter as informações a seguir:

      • Nome completo do participante;
      • Diagnóstico com a descrição da condição que motivou a solicitação e o código correspondente à Classificação Internacional de Doença (CID 10);
      • Assinatura e identificação do profissional competente, com respectivo registro em órgão competente (Conselho Regional de Medicina, Ministério da Saúde ou similar).

      ATENÇÃO: O documento comprobatório deverá estar em formato PDF, PNG ou JPG, no tamanho máximo de 2MB e escrito em língua portuguesa ou na língua oficial do posto onde o participante fará o exame, pois é responsabilidade do posto conferir as informações e atestar a validade do documento. Documentos incompletos, enviados fora do prazo, ou fora do sistema serão recusados. Em caso de dúvidas, entre em contato com o posto aplicador. Não espere terminar o prazo de inscrição!

       

    • Como faço minha inscrição?
      • Acesse o Sistema Celpe-Bras, por meio do endereço celpebras.inep.gov.br. No período definido em edital, você encontrará informações atualizadas no site do Celpe-Bras.
      • Informe um número de telefone e e-mail válido para obter seu login e senha.
      • Preencha todas as informações solicitadas, inclusive as perguntas do questionário.
      • Insira os documentos solicitados e conclua sua inscrição.
      • Guarde o resumo da inscrição, gerado ao final do processo. Ele contém dados importantes que serão solicitados para:

      a) acompanhar a inscrição;

      b) consultar e imprimir o cartão de confirmação de inscrição;

      c) obter os resultados individuais via internet; e

      d) emitir o certificado, caso o nível de proficiência mínimo seja alcançado.

      • Procure o posto para receber as informações sobre o pagamento da taxa de inscrição e como proceder para comprovar esse pagamento.

       

    • Qual o valor da taxa de inscrição?

      A taxa de inscrição tem um valor máximo definido pelo Inep e varia de acordo com cada posto. Entre em contato com o posto de sua preferência para maiores informações.

      ATENÇÃO: A taxa de inscrição cobrada pelos postos não pode ultrapassar os valores definidos em edital.

      • Postos no Brasil: R$ 200,00 (duzentos reais).
      • Postos no exterior: US$ 100,00 (cem dólares americanos).

      Valores da edição 2019

       

    • Posso alterar/corrigir meus dados depois de realizar a inscrição?

      Se o período de inscrições ainda estiver aberto, é possível fazer correções. Em caso de dúvida, entre em contato com o posto aplicador para maiores informações. O posto é o ponto de apoio do participante e sempre recebe informações atualizadas do Inep para garantir o bom andamento da aplicação.

      ATENÇÃO: A conferência das inscrições é de total responsabilidade do posto aplicador. Após o término do período de homologação, nenhuma alteração será possível. O participante cuja inscrição não tenha sido homologada ficará impossibilitado de realizar o exame nesta edição, por isso não deixe de acompanhar sua inscrição no endereço  ou de manter contato com o posto para garantir que sua inscrição foi homologada.

  • No dia da prova
    • Quais documentos preciso apresentar no dia do Exame?

      A apresentação de passaporte ou documento de identificação original com foto, válido no país de realização do exame, é obrigatória, mesmo que você seja conhecido no posto.

    • Como proceder em caso de perda, roubo ou extravio do documento?

      Caso seu documento original tenha sido extraviado, perdido, furtado ou roubado, somente será possível fazer a prova desde que apresente registro de ocorrência expedido por órgão policial há, no máximo, 90 dias do primeiro dia de aplicação do exame ou se submeta à identificação especial, com coleta dos dados e da assinatura do participante em formulário próprio. O participante que apresentar documento de identificação original danificado e/ou ilegível, com foto que não permita a completa identificação dos seus caracteres essenciais ou de sua assinatura, poderá realizar o exame, desde que se submeta à identificação especial, que compreende a coleta de dados e de assinatura em formulário próprio.

    • Como é o processo de avaliação da parte escrita?

      O critério de avaliação é a adequação contextual, discursiva e linguística. Assim, cada tarefa recebe uma nota de zero a cinco, atribuída por dois corretores independentes. Caso a diferença entre as notas dadas seja maior que um ponto, considera-se que houve discrepância significativa. Nessa hipótese, haverá o que se chama “recurso de ofício”, ou seja, sem que alguém solicite, o Inep realizará uma terceira correção para se chegar ao resultado final. Se a nota do terceiro corretor for convergente com um dos corretores anteriores, a nota final naquela tarefa será a média aritmética entre as duas notas convergentes, descartando-se a outra. Se a nota for equidistante, permanecerá como nota final aquela atribuída pelo terceiro corretor. Seguindo essa lógica para as quatro tarefas da parte escrita, a nota final é definida pela média aritmética entre as notas finais de todas as tarefas.

    • O que é avaliado na parte oral?

      No próprio posto aplicador, cada participante é avaliado por um avaliador-interlocutor, com quem irá conversar, e por um avaliador-observador, que não participa da conversa. São critérios de avaliação: compreensão oral, competência interacional, fluência, adequação lexical, adequação gramatical e pronúncia. Com base nesses critérios, o avaliador-interlocutor atribui uma nota global de zero a cinco, já o avaliador-observador atribui uma nota de zero a cinco a cada um desses critérios.

  • Depois da prova
    • Como é calculada a nota?

      O cálculo da nota do avaliador-observador é uma média ponderada, na qual 50% dessa nota são determinados pela avaliação da compreensão oral, da competência interacional e da fluência; 42%, pela adequação lexical e adequação gramatical; e 8%, pela pronúncia. A nota final da parte oral será a média aritmética entre as notas atribuídas pelos avaliadores, sem que um saiba a nota dada pelo outro. Essa metodologia garante maior isenção no processo de avaliação.

      Veja a seguir os casos de discrepâncias que exigem nova avaliação por dois avaliadores independentes, mediante áudio com gravação da interação face a face:

      • Quando a diferença entre as notas dos avaliadores for igual ou maior que 1,5 ponto.
      • Quando as três situações a seguir apresentadas ocorrerem simultaneamente: (1) a diferença entre a nota da parte oral e a nota na Parte Escrita for igual ou maior que 2,0 pontos; (2) a nota da parte oral e a nota na Parte Escrita se enquadrarem em níveis de certificação diferentes; (3) a nota final na Parte Escrita for superior à nota na parte oral.

      Após a reavaliação, nos casos de discrepância significativa, a nota da parte oral será a média entre as notas atribuídas pelos reavaliadores. Se, ainda assim, a discrepância persistir, haverá uma terceira avaliação, que atribuirá a nota final da parte oral, descartando-se todas as notas anteriores.

    • É possível ir bem em uma parte do exame e mesmo assim não obter nível de certificação?

      Sim, pois o Inep apenas certifica em quatro níveis, a saber: intermediário, intermediário superior, avançado e avançado superior. Para que o participante seja certificado, é preciso alcançar, pelo menos, o nível intermediário, tanto na parte escrita, quanto na parte oral. O nível de certificação é dado pela menor nota entre a nota final da parte escrita e a nota final da parte oral. Assim, quando o participante se sai muito bem em uma das partes, mas na outra não alcança o nível intermediário, não é certificado.

    • Não estou satisfeito com o resultado. Posso pedir revisão da correção/avaliação?

      A única possibilidade nesses casos é a realização do exame em outra edição, pois o Inep considera que a metodologia empregada já contempla recurso de ofício, que visa a resolução de problemas relativos à correção, por iniciativa do instituto. Desse modo, não há como realizar uma revisão dos resultados do exame.

    • Como posso saber meu resultado?

      Os resultados são publicados no endereço http://portal.inep.gov.br/web/guest/acoesinternacionais/celpe-bras e no Diário Oficial da União. A emissão do certificado, que deverá ser realizada pelo endereço http://celpebras.inep.gov.br/certificacao, só é possível para quem tiver alcançado pelo menos o nível intermediário.

      ATENÇÃO: Somente o participante poderá autorizar a utilização dos resultados que obtiver no Celpe-Bras para fins de publicidade e premiação, por exemplo. Os dados fornecidos pelo participante no ato da inscrição serão os mesmos que constarão no seu certificado, portanto é importante conferir se as informações prestadas estão corretas.

      NÍVEL

      FAIXA DE PONTUAÇÃO

      Sem Certificação

      0,00 a 1,99

      Intermediário

      2,00 a 2,75

      Intermediário superior

      2,76 a 3,50

      Avançado

      3,51 a 4,25

      Avançado superior

      4,26 a 5,00

    • O que significa cada nível do Celpe-Bras?

      Intermediário – conferido ao examinando que evidencia um domínio operacional parcial da língua portuguesa, demonstrando ser capaz de compreender e produzir textos orais e escritos sobre assuntos limitados, em contextos conhecidos e situações do cotidiano, podendo apresentar inadequações e interferências da língua materna e/ou de outra(s) língua(s) estrangeira(s) mais frequentes em situações desconhecidas, não suficientes, entretanto, para comprometer a comunicação.

      Intermediário superior – conferido ao examinando que preenche as características descritas no nível intermediário, mas com inadequações e interferências da língua materna na pronúncia e na escrita menos frequentes do que naquele nível.

      Avançado – conferido ao examinando que evidencia um domínio operacional amplo da língua portuguesa, demonstrando ser capaz de compreender e produzir, de forma fluente, textos orais e escritos sobre assuntos variados em contextos conhecidos e desconhecidos, podendo apresentar inadequações ocasionais principalmente em contextos desconhecidos, não suficientes, entretanto, para comprometer a comunicação.

      Avançado superior – conferido ao examinando que preenche todos os requisitos do nível avançado, mas com inadequações na produção escrita e oral menos frequentes do que naquele nível.

      IMPORTANTE: Dados e informações produzidos pelo participante, ao realizar o exame, farão parte do banco de dados do Inep, podendo ser utilizados para pesquisa, com prévia autorização da Diretoria de Avaliação da Educação Básica (Daeb), o que assegura o anonimato do participante. A autorização para uso desse banco é fundamental para o desenvolvimento de estudos e pesquisas que contribuem para o aprimoramento do Celpe-Bras e seguem um rígido protocolo para garantir a proteção aos dados individuais. As informações pessoais, educacionais, socioeconômicas e os resultados individuais no exame somente poderão ser divulgados mediante a autorização expressa do participante.