Notícias

SAEB

Divulgados resultados amostrais do Saeb 2019

Dados da avaliação foram apresentados pelo MEC e o Inep, nesta quarta-feira. Levantamento revela desempenho do 2º e 9º ano do ensino fundamental
Publicado em 04/11/2020 10h27 Atualizado em 04/11/2020 12h24

Durante o webinário, foram apresentados os resultados do 2º ano do ensino fundamental em língua portuguesa e matemática, assim como do 9º ano em ciências humanas e da natureza. Crédito: UnsplashCerca de 55% dos estudantes do 2º ano do ensino fundamental encontram-se nos níveis 5 a 8 de proficiência em língua portuguesa, de acordo com as escalas do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb). Os dados fazem parte dos resultados de testes amostrais do Saeb 2019, divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), nesta quarta-feira, 4 de novembro, em webinário. Na ocasião, foram apresentados os resultados do 2º ano do ensino fundamental em língua portuguesa e matemática, assim como do 9º ano em ciências humanas e da natureza.  

Ainda quanto à distribuição nos níveis da escala de proficiência de língua portuguesa do 2º ano do ensino fundamental, a avaliação revela que a maior parte dos estudantes (21,55%) concentra-se no nível 5. Por outro lado, 4,62% dos alunos estão abaixo do nível 1, o que indica a provável falta de domínio no conjunto das habilidades que compuseram o teste por parte desses participantes. Em contraponto, 5,04% dos estudantes estão no nível 8 — um indicativo do domínio da maioria das habilidades testadas. Quando se trata de matemática, cerca de 50% dos alunos do 2º ano também se encontram entre os níveis 5 e 8 de proficiência. Entretanto, a maior parte dos alunos (19,83%) concentra-se no nível 4. Ainda no que diz respeito ao domínio das habilidades matemáticas no teste, 2,82% dos participantes estão abaixo do nível 1, enquanto 6,99% encontram-se no nível 8.  

O Saeb 2019 contou com 5.660.208 (80,99%) dos 6.989.131 estudantes previstos para a avaliação. Ao todo, 72.506 escolas participaram. Dessas instituições, 62.769 tiveram os resultados divulgados. A avaliação é realizada com foco no ensino público. Ainda assim, 2.117 escolas particulares participaram desta edição.  

Zonas rural e urbana – Em relação à localização (rural ou urbana), o Saeb 2019 revela uma desigualdade, quando são observadas as distribuições nos níveis da escala de proficiência tanto em língua portuguesa quanto em matemática na etapa de alfabetização. No caso da língua portuguesa, a zona urbana apresenta uma distribuição similar à nacional. Por outro lado, a zona rural possui percentual maior nos níveis mais baixos da escala de proficiência. Nas áreas rurais, observa-se uma maior concentração no nível 4, em que se encontram 19,45% dos alunos dessas regiões. Desses estudantes, 8,33% estão abaixo do nível 1. 

Quando se trata do domínio das habilidades matemáticas no teste, a zona urbana também apresenta distribuição similar à nacional, e a zona rural, a exemplo do que acontece em língua portuguesa, apresenta percentual maior nos níveis mais baixos. Cerca de 15% dos estudantes de escolas de zona urbana estão concentrados nos três primeiros níveis de proficiência em matemática. Em contraponto, estudantes de escolas de zona rural correspondem a cerca de 25% dos três níveis mais baixos nessa área do conhecimento.  

Regiões e estados – Os dados revelam um desempenho um pouco melhor de alunos que estudam em capitais do que estudantes de outros municípios do país. O Saeb 2019 também mostra uma concentração de melhores resultados, analisando os números por regiões do país. Dez unidades da Federação apresentaram proficiência média acima da proficiência média nacional em língua portuguesa no 2º ano do ensino fundamental. Destacam-se Centro-Oeste, Sudeste e Sul (Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul). O estado do Ceará figura como exceção e possui a maior proficiência média. A diferença entre os índices dos alunos cearenses e dos estudantes do Amapá é de 52,76 pontos. O estado do Norte possui a menor proficiência média em língua portuguesa.  

Centro-Oeste, Sudeste e Sul também predominam entre os melhores desempenhos de matemática no 2º ano do ensino fundamental. Em relação a essa área do conhecimento, assim como em língua portuguesa, dez unidades da Federação apresentaram proficiência média acima da proficiência média nacional. Nesse caso, Ceará e Pernambuco também se destacam. Além dos estados nordestinos, estão entre os melhores níveis Distrito Federal, Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná. A exemplo do que acontece em língua portuguesa, Ceará e Amapá são os estados com maior e menor proficiência média, respectivamente. Em matemática, a diferença entre o estado nordestino e o nortista é de 44,2 pontos. 

Resultados do 9º ano – Durante o webinário, o MEC e o Inep apresentaram também os resultados do 9º ano em ciências humanas e da natureza. Quanto à distribuição nos níveis da escala de proficiência da primeira área do conhecimento, o Saeb 2019 revela que a maior parte dos estudantes (18,6%) está concentrada no nível 2. Vale destacar que os quatro primeiros níveis apresentam, aproximadamente, o mesmo percentual, cada um. Ainda de acordo com a avaliação, cerca de 30% dos estudantes encontram-se nos níveis 4 a 9 em relação às ciências humanas. Do total, 0,14% dos alunos está no nível 9, indicando um domínio da maioria das habilidades testadas; já outros 16,97% estão abaixo do nível 1.  

Quando se trata de ciências da natureza, cerca de 31,49% dos alunos do 9º ano encontram-se entre os níveis 4 a 9 de proficiência. Apesar de a maior parte dos alunos (17,98%) concentrar-se no nível 2, os quatro primeiros níveis apresentam, aproximadamente, o mesmo percentual em cada um, a exemplo do que é notado em ciências humanas. Em relação às ciências da natureza, 0,5% dos participantes estão no nível 8 ou acima e 17,73% encontram-se abaixo do nível 1. 

Localização – Quando analisada a localização da escola, o Saeb 2019 também indica uma desigualdade no que diz respeito às distribuições nos níveis da escala de proficiência tanto em ciências humanas quanto da natureza. No caso das ciências humanas, a zona urbana apresenta uma distribuição similar à nacional. Nas áreas rurais, observa-se uma maior concentração abaixo do nível 1, no qual se encontram 24,99% dos alunos dessas regiões. Quando se trata de ciências da natureza, a zona urbana também apresenta uma distribuição similar à nacional; a zona rural, mais uma vez, mostra um percentual maior nos níveis mais baixos, com uma concentração de 28,30% dos estudantes no nível 1. 

Capitais e interior – O desempenho dos alunos do 9º ano do ensino fundamental também é um pouco melhor entre os que estudam nas capitais, em relação aos alunos de escolas localizadas em outros municípios. A análise se aplica tanto às ciências humanas quanto às da natureza. A avaliação ainda mostra uma concentração de melhores resultados nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul — assim como acontece com alunos da etapa de alfabetização —, quando avaliada a disciplina de ciências humanas. Nove unidades da Federação apresentaram proficiência média acima da proficiência média nacional. São elas: Distrito Federal, Goiás, Espírito Santo, São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e Ceará. O estado catarinense se destaca com a maior proficiência média em ciências humanas. A diferença para Roraima, estado de menor proficiência média na disciplina, é de 28,91 pontos.  

Centro-Oeste, Sudeste e Sul também predominam entre os melhores desempenhos de ciências da natureza. No caso dessa área de conhecimento, 11 unidades da Federação apresentaram proficiência média acima da proficiência média nacional. São elas: Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e Rondônia. Distrito Federal e Maranhão são as unidades da Federação com maior e menor proficiência média, respectivamente. Em ciências da natureza, a diferença entre elas é de 40,27 pontos.

Saeb – Realizado desde 1990, o Sistema de Avaliação da Educação Básica é um processo de avaliação em larga escala, realizado periodicamente pelo Inep. O Saeb oferece subsídios para a elaboração, o monitoramento e o aprimoramento de políticas com base em evidências, permitindo que os diversos níveis governamentais avaliem a qualidade da educação praticada no país. Por meio de testes e questionários, a avaliação reflete os níveis de aprendizagem demonstrados pelo conjunto de estudantes. Esses níveis de aprendizagem estão descritos e organizados de modo crescente, em escalas de proficiência de língua portuguesa e de matemática, para cada uma das etapas avaliadas. A interpretação dos resultados do Saeb deve ser realizada com apoio das escalas de proficiência. Os resultados de aprendizagem dos estudantes, apurados no Saeb, juntamente com as taxas de aprovação, reprovação e abandono, apuradas no Censo Escolar, compõem o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Confira os resultados do Saeb 2019

Matrizes de referência e escalas de proficiência do Saeb

Apresentação | Resultados das aplicações amostrais para 2º e 9º ano do ensino fundamental

Saiba mais sobre o Saeb

Webinário

 

Assessoria de Comunicação Social do Inep

Educação e Pesquisa