Notícias

CONECTIVIDADE

Programas para conectar o Norte e Nordeste são destaques no INOVAtic

Secretário executivo do MCom, Vitor Menezes, apresentou ações executadas pela Pasta, durante abertura online da feira de negócios sobre inovação e tecnologia no setor de telecomunicações
Publicado em 09/06/2021 15h47 Atualizado em 09/06/2021 20h13
129_bc.png

As regiões Norte e Nordeste do país, que hoje registram os menores índices de acesso à internet, têm uma atenção particular do Ministério das Comunicações (MCom), no sentido de garantir que todos os brasileiros tenham esse direito assegurado. Os programas voltados para a ampliação da conectividade e o fortalecimento do setor de telecomunicações – duas prioridades do MCom – foram apresentados nesta quarta-feira (9/6) pelo secretário executivo do MCom, Vitor Menezes, durante a Feira de Negócios e Congresso Online INOVAtic 2021. O evento reúne formuladores de políticas de inovação, ciência e tecnologia para o setor produtivo digital, que inclui provedores de serviços de internet.

Um dos programas abordado por Menezes foi o Norte Conectado, iniciativa da Pasta que tem a finalidade de expandir a infraestrutura de comunicações na Região Amazônica, por meio da implantação de cabos de fibra ótica ao longo do leito de rios. A rede tem capacidade de transmissão de 100 Gbps (gigabits por segundo). O sistema será operado pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). A RNP irá fornecer acesso compartilhado e infraestrutura aos prestadores de serviços de internet. “O que nós queremos é permitir que vocês prestadores, as empresas de conexão à internet, possam utilizar dessa infraestrutura de conectividade”, pontuou o secretário.

O que nós queremos é permitir que vocês prestadores, as empresas de conexão à internet, possam utilizar dessa infraestrutura de conectividade do Norte Conectado, pontuou o secretário executivo do MCom

Como contrapartida ao uso da capacidade da rede, os provedores de internet devem fazer entregas. Entre elas está a realização de manutenção da rede – fundamental para garantir a sustentabilidade do projeto – e o compromisso de levar conectividade para órgãos do poder públicos, como escolas, delegacias, fóruns de justiça e unidades de saúde. Serão beneficiados 60 municípios e mais de 2 mil escolas, impactando a vida de 9 milhões de pessoas, entre elas 1,7 milhão de estudantes. Menezes destacou que a infraestrutura é também voltada para o fortalecimento das políticas públicas de outros órgãos, como o MCTI e os ministérios da Defesa, da Saúde, e da Educação, além do Conselho Nacional de Justiça.

Além da entrega de uma rede de infraestrutura principal (backbone) robusta, pela qual os dados de todos os clientes da internet vão passar, será construída também uma segunda rede – responsável por fazer a ligação a estrutura principal e as subredes periféricas (backhaul). É essa última que vai permitir o acesso à internet para as pessoas. “Vamos construir redes de acesso à internet nos municípios de forma que tenham conexão. Então a ideia é construir uma rede completa”, destacou Menezes. O cabo de fibra ótica irá passar pelos rios Amazonas, Negro, Solimões, Madeira, Purus, Juruá e Rio Branco.

 Atividades realizadas e próximas entregas

 Ao destacar os avanços nas entregas do Norte Conectado, o secretário-executivo afirmou que 42% do projeto já foi concluído. “Nossas próximas atividades são trazer esse cabo de fibra ótica para o Brasil, finalizar o estudo de rota aprimorada, finalizar licenciamento ambiental e as instalações. A ideia é que em 2022 seja iniciada a operação”, pontuou. Serão entregues, ao todo, oito infovias.

Além do Norte Conectado, o MCom também implanta o programa Wi-Fi Brasil na região. Por meio dessa política pública, é possível levar internet gratuita, via satélite, a comunidades que não têm acesso à internet. Já foram instalados na região mais de 3.800 pontos de conexão em 394 municípios, a maioria nos estados do Pará e Amazonas. Em todo país, são mais de 13,6 mil pontos de Wi-Fi Brasil. Outro programa desenvolvido na região é o Cidades Digitais, em que o MCom leva infraestrutura de conectividade para os municípios. 16 cidades já foram contempladas.

Nordeste Conectado

Durante a participação no INOVAtic 2021, o secretário executivo do MCom apresentou também o programa Nordeste Conectado, igualmente realizado em parceria com a RNP. Foram feitos investimentos para permitir o tráfego de dados por meio da rede de fibra ótica da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf). Com isso, é possível aproveitar uma estrutura já existente para conectar as cidades, principalmente no interior dos estados. Mais de 6,5 mil quilômetros de fibra ótica já foram iluminados e a velocidade oferecida chega a 100 Gbps (gigabits por segundo).

Nossa ideia é fortalecer o interior do Nordeste com essa infraestrutura e ter uma série de benefícios: a maioria, voltados para educação, explicou Vitor Menezes

“Nossa ideia é fortalecer o interior do Nordeste com essa infraestrutura e ter uma série de benefícios: a maioria, voltados para educação”, explicou Menezes. A conexão para as regiões interioranas será feita por meio de 16 cidades-polo e a meta é atingir 77 municípios, levando conexão de alta velocidade em especial para as escolas e instituições de ensino e pesquisa. Mais de 16 milhões de pessoas devem ser beneficiadas. Já estão conectadas à rede troncal as cidades de Caruaru (PE), Campina Grande (PB), Paulo Afonso (BA), Mossoró (RN) e Quixadá (CE).

Menezes ressaltou que a participação dos provedores de internet será fundamental para garantir o acesso à internet. As empresas poderão utilizar da estrutura de forma compartilhada e fazer contrapartidas aos órgãos públicos para ampliar a conectividade na região. O investimento total realizado pelo Governo Federal é de R$ 60 milhões, com recursos do MCTI e do MEC.

Texto: ASCOM/Ministério das Comunicações

MCom e RNP discutem modelo de contratação para projeto-piloto do Norte Conectado

Comunicações e Transparência Pública