Notícias

#SNC2021

Na Semana Nacional das Comunicações, programa Cidades Digitais chega a mais quatro municípios brasileiros

Ação do MCom busca integrar prefeituras e órgãos públicos locais no mundo das TICs e ofertar pontos de acesso público gratuito para a população
Publicado em 07/05/2021 16h59

Em comemoração à Semana Nacional das Comunicações, o programa Cidades Digitais irá disponibilizar toda a infraestrutura para conexão à internet para mais quatro cidades brasileiras que ainda não contam com o serviço. Os termos de doação foram assinados nesta sexta-feira (7). 

Os novos municípios beneficiados pelo Cidades Digitais são os seguintes: Anguera (BA), Rio Pardo (RS), São Joaquim (SC) e Louveira (SP).

Essa ação do MCom busca integrar prefeituras e órgãos públicos locais no mundo das TICs (Tecnologias da Informação e Comunicação) e ofertar pontos de acesso público gratuito para a população em praças, parques, rodoviárias.

Ao todo, o programa já beneficiou 185 municípios espalhados por todo o país e deve atender mais 11 até o fim de 2021, totalizando 196.

São 3.755 mil pontos de conexão governamental e 472 pontos em espaços públicos. Um investimento total de R$ 140 milhões e mais de 7 milhões de pessoas impactadas pelo serviço.

Somente na atual gestão do governo federal foram 64 novas entregas. As cidades escolhidas foram selecionadas entre os anos de 2012 e 2014, levando em conta vários critérios, dentre eles o precário ou inexistente serviço de conexão à Internet.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, falou sobre a importância de ações como o Cidades Digitais. “Conectividade também é logística, você faz com que as pessoas consigam trabalhar integradas. É um projeto que temos de levar Internet para várias localidades do país”, ressalta.

MCom trabalha por inclusão digital

Atualmente, o Brasil conta com um “deserto digital” que atinge cerca de 45 milhões de pessoas. Através de ações como o Cidades Digitais, o MCom vem trabalhando forte para reduzir esse número e proporcionar conectividade para quem ainda não tem.

É o que afirma o diretor de programa do ministério, José Afonso Cosmo Júnior. “A inclusão não é só digital, mas também social. Onde ninguém chega, nós vamos chegar, para mudar a vida dessas pessoas e gerar novas oportunidades”, reforça.

O Cidades Digitais atua em três frentes. A primeira delas passa pela instalação de toda a infraestrutura de fibra óptica necessária para a conexão entre órgãos e equipamentos públicos locais, promovendo melhoria e agilidade na prestação de serviços e a integração das políticas públicas.

Em um segundo momento, o foco passa por instalar pontos públicos de acesso à Internet para uso livre e gratuito em espaços de grande circulação, como praças, parques e rodoviárias.

Por fim, o programa apoia a formação dos servidores públicos e promove a cidadania através da realização de cursos de capacitação profissional, auxiliando os funcionários no uso da nova ferramenta em benefício público.

Com isso, torna-se possível agilizar procedimentos, reduzir o prazo para atender as demandas, diminuir cada vez mais a burocracia dos serviços públicos e, consequentemente, atender à população oferecendo um serviço cada vez melhor e mais ágil.

Cada uma das cidades recebe seis meses de operação assistida, além de treinamento e transferência de tecnologia aos servidores municipais. Passado esse período, é facultado ao município firmar parcerias com governos estaduais, empresas públicas de tecnologia da informação, universidades, institutos federais, institutos de pesquisa ou entidades privadas sem fins lucrativos que desenvolvam atividades relacionadas com o objeto da entrega.

O MCom entrega toda a infraestrutura pronta e cabe às prefeituras buscar a contratação de provedores de Internet ou parcerias para prover a conectividade da rede local e dos pontos de acesso público.

Quem discorre sobre a importância e o impacto que a chegada da Internet gera na vida dessas comunidades é o secretário executivo do MCom, Vitor Menezes. “A Internet é fundamental para que as pessoas permaneçam trabalhando, estudando e tenham acesso à informação. Sabemos que é algo transformador na realidade da maioria dessas pessoas. É uma necessidade ligada a valores como cidadania, informação, educação e trabalho”.

É o MCom trabalhando para conectar cada vez mais pessoas e contribuindo para a inclusão digital por todo o país!

Texto: Ascom/Ministério das Comunicações

Comunicações e Transparência Pública