Notícias

RADIODIFUSÃO

Vinte municípios do Acre vão sintonizar programação de rádio FM

Portarias publicadas nesta terça-feira (8/6) autorizam as primeiras outorgas para o serviço de retransmissão de rádio na região da Amazônia Legal. Medida abre espaço para geração de investimentos locais e empregos
Publicado em 08/06/2021 18h00 Atualizado em 09/06/2021 12h20
126_bc3.png

Moradores de vinte municípios do Acre terão acesso, a partir de agora, à informação, cultura e entretenimento via ondas de rádio. O Ministério das Comunicações (MCom) publicou nesta terça-feira (8/6), no Diário Oficial da União, as portarias que autorizam duas emissoras a oferecer o serviço de retransmissão de rádio nas localidades.

As emissoras Progresso do Acre Comunicações e Rádio, TV e Jornal Impresso Amazônia poderão retransmitir a programação feita para a capital aos municípios de Acrelândia, Assis Brasil, Brasileia, Bujari, Capixaba, Epitaciolândia, Feijó, Jordão, Mâncio Lima, Manoel Urbano, Marechal Thaumaturgo, Plácido de Castro, Porto Acre, Porto Walter, Rodrigues Alves, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira, Senador Guiomard, Tarauacá e Xapuri.

A Retransmissão de Rádio na Amazônia Legal possibilita a inserção local de programação e de publicidade em até 15% do total da programação, permitindo que essas estações de rádio sejam um veículo para informações relevantes para a comunidade, complementa o secretário de Radiodifusão do MCom

São as primeiras outorgas do serviço de Retransmissão de Rádio (RTR), criado pela Lei nº 13.649, de 2018. Com isso, o MCom busca garantir que as cidades com menor porte, no interior dos estados, tenham acesso a conteúdo informativo. A permissão para o serviço abre também oportunidade para a geração de empregos e investimentos locais.

O secretário de Radiodifusão do MCom, Maximiliano Martinhão, explica que o serviço é especialmente importante porque se destina ao interior da Amazônia Legal – região carente de serviços de radiodifusão. Martinhão reforça que em muitas localidades a divulgação de informações relevantes é feita por meio de carros de som. “A Retransmissão de Rádio na Amazônia Legal possibilita a inserção local de programação e de publicidade em até 15% do total da programação, permitindo que essas estações de rádio sejam um veículo para informações relevantes para a comunidade”, complementa.

O objetivo do MCom é beneficiar mais de 10 milhões de moradores de 230 municípios interioranos da Amazônia Legal, nos estados do Mato Grosso, Tocantins, Amazonas, Pará, Amapá, Acre, Rondônia e Maranhão. De todas as cidades beneficiadas, cerca de 78% não contavam com emissoras FM na ocasião de publicação do edital de chamamento público, em setembro de 2020.

 

 Mais informação e menos burocracia

O MCom pretende assegurar aos brasileiros, cada vez mais, o acesso à informação. Para isso, publicou no ano passado as portarias que simplificam os processos para obtenção de outorga às emissoras de rádio. As mudanças se aplicaram também às retransmissoras de rádio e TV comerciais, educativas e comunitárias.

A simplificação foi iniciada com a publicação do Decreto nº 10.405/2020, que estabelece diretrizes para facilitar o fluxo administrativo e fixa prazos para a regularização de emissoras que funcionam em caráter provisório. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou as novas normas técnicas e adaptou os sistemas eletrônicos à regulamentação proposta.

Além disso, os procedimentos para a outorga de serviços de retransmissão de televisão (RTV) e de rádio (RTR) na Amazônia Legal foram também simplificados para facilitar a obtenção de novas autorizações.

Texto: ASCOM/Ministério das Comunicações

Saiba mais

Ministério das Comunicações recebe 983 pedidos de retransmissão de rádio na Amazônia Legal

Governo regulamenta serviço de retransmissão de rádio

Ministério das Comunicações simplifica licenciamento de estações de rádio e TV

Ministério das Comunicações leva conteúdo de rádio a regiões remotas da Amazônia Legal

Comunicações e Transparência Pública