Programa de Diplomacia da Inovação

Publicado em 14/03/2014 19h52 Atualizado em 06/10/2021 12h26

A diplomacia constitui ferramenta essencial na formulação e execução de estratégias capazes de estimular a inovação tecnológica no Brasil e de contribuir ativamente para o crescimento econômico do país.

O Programa de Diplomacia da Inovação (PDI), implementado pelo Itamaraty desde 2017, busca quebrar os estereótipos vinculados à imagem do Brasil no exterior e mostrar país que produz conhecimento, produtos e serviços em setores da fronteira científica.

O PDI visa reunir a execução de ações de promoção tecnológica no exterior, alinhadas à Política Nacional de Inovação (Decreto nº 10.534, de 28/10/2020) a qual dispõe como uma de suas diretrizes de ações estratégicas o “reconhecimento do Brasil no cenário internacional como uma nação inovadora”.

Além do acompanhamento de políticas públicas, inserem-se nessa linha atividades que visam a elevar o perfil do Brasil junto aos ecossistemas estrangeiros de inovação, tais como: identificação de parcerias científicas e tecnológicas, atração de investimentos, apoio a internacionalização de startups, mobilização da diáspora científica brasileira no exterior, bem como fomento da colaboração entre ambientes de inovação brasileiros e estrangeiros, entre outras.

 

AÇÕES DO PDI

O número de atividades do PDI de 2017 até 2020 praticamente dobrou a cada ano, saltando de 6 em 2017, quando ainda era um projeto-piloto, para 81 atividades em 2020, em plena pandemia da COVID-19 (Gráfico 1). Da mesma forma, o número de postos envolvidos passou de 6, em 2017, para 43, em 2020 (Gráfico 2). Nesses quatro anos foram desembolsados quase R$ 5 milhões e meio (Gráfico 3). Esse valor se soma ao de parceiros locais no exterior e de parceiros brasileiros, multiplicando os recursos empregados e seu impacto. No último ano, a maioria das ações foi desenvolvida na Ásia (Gráfico 4). Ao se analisar o PDI 2020, pode-se apurar que, por área tecnológica, 64% das atividades são multissetoriais; 11% na área de fintechs; 9% na área de agritechs; e 6% na área de healthtech/biotecnologia; 6% em outras áreas e 4% na área de TICs.

 

 

 

Em 2021, no âmbito do PDI, estão planejadas mais de 120 atividades, das quais 115 já foram realizadas, em 46 cidades, em 31 países, com a expectativa de impactar mais de 6 mil pesquisadores e empreendedores, nas mais diversas.

PROGRAMAÇÃO 2022:

Em 2022, o PDI conta com 165 atividades, em 50 postos do MRE no exterior, em 35 países, as quais têm potencial de impactar cerca de 7 mil pesquisadores e empreendedores do ramo de tecnologia brasileiros.

Ao se analisar o PDI 2022, pode-se apurar que, por área tecnológica, 65% das atividades são multissetoriais; 5% na área de agritechs; 4% na área de healthtech/biotecnologia; e 4% na área de fintechs. Quanto à natureza das atividades cobertas, 25% consistem em seminários/webinars de tecnologia com foco em negócios e pesquisa; 11% são feiras; e 11% envolvem a mobilização da diáspora brasileira em CTI no exterior.

Em termos de distribuição geográfica, 38% das atividades serão implementadas no Europa, 28% na Ásia, 21% na América do Norte, 5% na África, 4% na América do Sul e 4% na Oceania.

Confira as atividades no mapa interativo a seguir:

 

 

MAIORES INFORMAÇÕES SOBRE O PDI:

Para buscar maiores informações sobre a programação do PDI, inclusive confirmação de datas e inscrições, basta entrar em contato com o Setor de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTECs) na embaixada ou consulado-geral brasileiro responsável pela ação.

- Relação de vídeos de atividades do PDI está disponível em: https://www.youtube.com/playlist?list=PLibZPfUZrGdJPOrYiHAVMH1UoL_dLTNTC

- Estudos de mercado e de tecnologias em diversos mercados elaborados pelo Itamaraty estão disponíveis em:  http://www.investexportbrasil.gov.br/estudos-de-mercado