Notícias

Ministério da Economia realizará licitação do TáxiGov para órgãos e entidades localizados em Rondônia.

A iniciativa da Central de Compras, da Secretaria de Gestão, visa expandir o modelo já em uso no Distrito Federal, Rio de Janeiro e São Paulo para demais Estados.
Publicado em 01/09/2020 18h06 Atualizado em 03/09/2020 11h25

A Central de Compras do Governo Federal publicou a Intenção de Registro de Preços – IRP nº 17/2020 para a contratação de serviço de transporte terrestre dos servidores, empregados e colaboradores a serviço dos órgãos e entidades localizados em Porto Velho, TáxiGov.

A IRP permite a contratação de serviços de táxi ou de transporte individual de passageiros, ou prestação de serviço de transporte por locação de veículos, com área de atuação em Rondônia. O contrato terá duração de 12 meses. Entre as exigências do contrato está que os carros tenham quatro portas, ar-condicionado e monitoramento via aplicativo com GPS.

Os órgãos e entidades deverão lançar suas demandas até o dia 18 de setembro de 2020, por meio do Portal de Compras (www.comprasgovernamentais.gov.br), conforme orientações que serão publicadas pela Central de Compras.

Expansão

A licitação faz parte do projeto de expansão do TáxiGov para órgãos e entidades localizados nos demais Estados da federação. A expectativa é de que, ainda no segundo semestre de 2020, o modelo esteja implantado em Florianópolis, Belo Horizonte e Cuiabá. Em outubro, Salvador, Natal e Porto Alegre também estarão utilizando o serviço.

O TáxiGov, serviço de transporte de servidores por meio de aplicativo, já está presente em 86 órgãos e entidades. Até o momento, a medida já gerou uma economia de mais de R$ 25 milhões e também possibilitou o leilão de 137 veículos, que deixaram de ser utilizados pelos órgãos da administração pública. A venda desses carros resultou numa arrecadação de R$ 1,9 milhão.

Outro ganho do TáxiGov está relacionado aos mecanismos de gestão pública. Mais de 60 contratos de transporte terrestre de servidores e colaboradores foram encerrados com a adoção do modelo, o que significa simplificação”, disse Heckert.

Para o secretário, a qualidade do atendimento também é um fator fundamental para a adoção. “Além de permitir que o usuário solicite uma corrida por meio de aplicativo, conseguimos reduzir o tempo de atendimento das solicitações em 22% na comparação com os modelos pré-TáxiGov, melhorando, assim, a experiência do usuário”.