Notícias

INTEGRAÇÃO DO SÃO FRANCISCO

Repassados mais de R$ 46 milhões para obras no Cinturão das Águas do Ceará

Infraestrutura irá garantir a segurança hídrica e beneficiará mais de 4,5 milhões de pessoas na região
Publicado em 20/07/2021 12h29
Repassados mais de R$ 46 milhões para obras no Cinturão das Águas do Ceará

Cinturão das Águas do Ceará faz parte do Projeto de Integração do Rio São Francisco, maior empreendimento hídrico do País. Quando concluído, cerca de 12 milhões de pessoas serão beneficiadas em quatro estados. - Foto: Isac Nóbrega/PR

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) autorizou, na última sexta-feira (16), o repasse de mais R$ 46,9 milhões para o investimento na continuidade das obras do Cinturão das Águas do Ceará (CAC). Quando concluída, a infraestrutura beneficiará mais de 4,5 milhões de pessoas na região metropolitana de Fortaleza e em 24 cidades localizadas entre a Barragem de Jati e a Travessia do Rio Cariús.

Este é o terceiro repasse federal para o CAC em 2021. Em março, foram aplicados R$ 15 milhões na infraestrutura. Em junho, o MDR autorizou mais R$ 31,6 milhões em recursos para que o Governo do Ceará desse andamento às obras. Ao todo, o Governo Federal já investiu R$ 1,2 bilhão para a implantação do Cinturão.

“Os açudes de Orós e Castanhão estão entre os maiores reservatórios de água do estado do Ceará e irão receber as águas do Cinturão. Esse repasse de recursos reforça o compromisso do Governo Federal em levar segurança hídrica ao Nordeste brasileiro”, afirma o secretário Nacional de Segurança Hídrica do MDR, Sérgio da Costa.

Concluído em fevereiro, o trecho emergencial (lotes 1 e 2) já está em operação e faz a transposição de água para o Riacho Seco, saindo do leito natural até o Rio Salgado e o Açude Castanhão.

Integração do Rio São Francisco

O Projeto de Integração do Rio São Francisco soma 477 quilômetros de extensão e é o maior empreendimento hídrico do País. Cerca de 12 milhões de pessoas serão beneficiadas em 390 municípios de Pernambuco, da Paraíba, do Ceará e do Rio Grande do Norte quando todas as estruturas estiverem em operação.

 

Com informações do Ministério do Desenvolvimento Regional