Notícias

Covid-19

Auxílio Emergencial 2021: período de contestação vai até 24 de julho

Mensalmente, os CPFs dos beneficiários passam por análises para conferir se atendem aos critérios previstos na lei para continuar recebendo o benefício
Publicado em 21/07/2021 13h12
Auxílio

Objetivo é permitir uma nova análise com bases mais atualizadas dos dados - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Os cidadãos que tiveram o Auxílio Emergencial 2021 cancelado na revisão mensal de julho terão até sábado (24) para contestar a decisão. O objetivo é permitir que essas pessoas tenham uma nova análise com bases mais atualizadas de seus dados. Mensalmente, os CPFs dos beneficiários passam por análises para conferir se atendem aos critérios previstos na lei para continuar recebendo o benefício.

Quem teve o pagamento suspenso deve fazer o requerimento pelo site do Ministério da Cidadania: https://consultaauxilio.cidadania.gov.br. Após ingressar com os dados de identificação e clicar na aba correspondente ao Auxílio Emergencial 2021, a pessoa deve verificar a situação das parcelas, depois clicar no ícone de "informação" para exibir o detalhamento do motivo do cancelamento. Após esse processo, o requerente deve clicar no botão: “contestar”. A partir daí, precisa aguardar até que seja realizada uma nova análise da situação do seu benefício.

Se a razão que motivou o cancelamento permitir contestação, o registro do cidadão será reanalisado pela Dataprev e o trabalhador poderá voltar a receber, caso seja aprovado o pedido.

Combate a fraudes

Como forma de combater as fraudes no Auxílio emergencial, foi deflagrada, nesta terça-feira (20), a operação Ego. Cerca de 30 agentes cumpriram sete Mandados de Busca e Apreensão em Macapá e outro em Ciudad del Este, no Paraguai, que contou com o apoio do Ministério Público do país vizinho.

A investigação apontou a existência de uma associação criminosa formada por quatro pessoas, alguns com vínculo familiar, residentes em na capital do Amapá. Eles são suspeitos de usar 35 contas da Caixa, de outras pessoas de diversas localidades do País, entre maio e junho do ano passado. Estima-se que eles obtiveram mais de R$ 65 mil de forma fraudulenta.

Com informações do Ministério da Cidadania