Notícias

BALANÇO FDCO 2020

Sudeco empenha R$ 471,1 milhões para empresas no Centro-Oeste

Empreendimentos atrairão investimentos de mais R$ 1 bi para a região, além de 22,9 mil empregos diretos e indiretos
Publicado em 11/01/2021 11h21 Atualizado em 14/01/2021 12h11
Foto_Balanço_FDCO.png

Ilustração

A Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) aprovou em 2020 a viabilização de recursos públicos para a implementação de oito projetos, que atrairão mais de R$ 1 bi em investimentos para a região. Deste valor, 40% serão financiados pelo Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO), o que representa um total de R$ 471,1 milhões, já empenhados pela Sudeco no último ano. O restante do investimento, estimado em R$ 602, 3 milhões, 60% do capital, ocorrerá por meio de recursos próprios e outras fontes das empresas.

Os projetos, voltados para atividades produtivas e novos negócios, serão instalados nos estados de Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, além do Distrito Federal. Espera-se a criação de mais de 22,9 mil postos de trabalho, entre diretos e indiretos.

No último ano, houve um aumento expressivo no número de empresas apoiadas pelo FDCO. Em 2019 foram duas empresas que tiveram recursos empenhados pelo Fundo, já em 2020 a superintendência atendeu oito empreendimentos, um aumento de 300%. Além disso, o orçamento anual do FDCO também apresentou um crescimento considerável, de R$ 158,1 milhões em 2019, para R$ 471,1 milhões no último ano, ou seja, 197,9% de aumento. A Sudeco atingiu a sua meta em 2020, utilizando 100% do recurso orçamentário federal destinado ao Fundo.

FDCO em 2020

Mato Grosso do Sul

O estado teve o maior número de empresas atendidas com recursos do FDCO, com um total de cinco empreendimentos. Para a implementação dos projetos, serão investidos mais de R$ 375,8 milhões na região. Deste valor, R$ 174,8 milhões (40%) serão financiados pelo Fundo, enquanto R$ 201 milhões (60%) serão aportados pelas empresas.

Do montante empenhado pela Sudeco, mais de R$ 75 milhões se destinam ao agronegócio no estado, outros R$ 36,7 milhões preveem a geração de energia elétrica por meio de parques solares e usina hidrelétrica. Além disso, o segmento da indústria de papel receberá um financiamento de R$ 63 milhões através do Fundo. 

No segmento do agronegócio, o financiamento prevê a ampliação e a modernização da capacidade de armazenamento, tratamento e comercialização dos produtos da empresa Agrodinâmica Comércio e Representações LTDA, em Maracaju (MS), sendo empenhado o valor R$ 53,2 milhões. O projeto prevê um investimento total de R$ 106,4 milhões para a região.

Também foi aprovado o empenho de R$ 21,8 milhões para a empresa Bello Alimentos LTDA construir um complexo industrial para secagem e armazenamento de grãos em Itaporã (MS), sendo o valor total do projeto de 91,2 milhões.

O financiamento de R$ 16,7 milhões foi solicitado pela ERR Empreendimento Imobiliário LTDA, para implantação de cinco parques de energia fotovoltaica, em Corumbá (MS). Para projetos enquadrados em infraestrutura, que englobam geração, transmissão e distribuição de energia, o FDCO pode financiar de 50% a 60%. O projeto atrairá para o estado o investimento de R$ 27,9 milhões.

Outro empreendimento no segmento de energia foi o da empresa Hidroelétrica Chapadão LTDA, com o projeto de implantação de uma Central Geradora Hidrelétrica (CGH) no rio Indaiá, próximo aos municípios de Chapadão do Sul e Cassilândia (MS), que deve receber do Fundo R$ 20 milhões em recurso.  O estado terá um investimento de R$ 40,2 milhões para a implementação do projeto.

Já o empenho de R$ 63 milhões garantirá o financiamento da empresa Unir Indústria e Comércio de Produtos de Higiene LTDA para a viabilização do projeto de instalação da primeira unidade industrial de beneficiamento de celulose de fibra curta do estado, no município de Três Lagoas (MS). Esse tipo de matéria prima é utilizado, por exemplo, na fabricação de papéis higiênicos, toalhas de papel e guardanapos, categoria de produtos denominada tissue pela indústria. Será investido um total de R$ 157,5 milhões para a instalação da fábrica.

Com a implantação dos projetos no estado, serão gerados cerca de 624 postos de trabalho, entre diretos e indiretos.

Brasília

Brasília terá, pela primeira vez, um empreendimento apoiado pelo Fundo. Além disso, conta também com o maior recurso empenhado pela superintendência, um total de R$ 210 milhões em favor da empresa Arena BSB.

Serão investidos mais de R$ 525.1 milhões para a instalação do projeto, dos quais R$ 315 milhões serão arcados com recursos da empresa.

A Arena BSB será um complexo com cinema, teatro, opções gastronômicas, comércio e serviços, escritórios, centro de medicina esportiva, entre outras atividades, na área onde hoje está o Estádio Mané Garrinha, o Ginásio Nilson Nelson e o Complexo Esportivo Cláudio Coutinho.

Segundo a empresa, que detém a concessão do GDF para o local, serão criados mais de 4 mil empregos diretos e 5,9 mil indiretos na fase da construção do complexo. Já em seu pleno funcionamento, o Arena BSB criará 4,1 mil postos de trabalho diretos e 6.150 empregos indiretos.

Mato Grosso

Para o estado, a Sudeco autorizou o empenho de cerca de R$ 40, 6 milhões a favor do projeto da empresa Fides Gold Mineradora S.A, possibilitando maior aproveitamento das reservas das minas de ouro no município de Peixoto de Azevedo (MT). Para a execução do projeto está previsto um investimento no total de R$ 81, milhões, sendo que, deste valor, R$ 40,6 milhões serão por meio de recursos da empresa.  

Com valor garantido pelo FDCO, a empresa implementará uma segunda planta, a fim de aumentar o aproveitamento do minério extraído das minas de ouro que a empresa explora. A Fides Gold estima que o investimento vai gerar 108 novos empregos diretos e 1,5 mil indiretos.

Goiás

Em Goiás, a empresa Adoralle Alimentos LTDA tem a garantia do financiamento com o empenho de R$ 45,6 milhões realizado pela Sudeco para a instalação de uma fábrica de biscoitos no município de Santa Bárbara de Goiás (GO).

O valor total do projeto está estimado em R$ 91,2 milhões. O FDCO financiará 50% do empreendimento, uma vez que o município está localizado em área prioritária para o FDCO, classificado como município de média renda e baixo dinamismo. A empresa Adoralle ficará responsável por investir os 50% restantes.

A empresa avalia que a indústria gere 123 empregos diretos e 369 indiretos no município.

Sobre o FDCO

O FDCO é um fundo público, administrado pelo Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR) e Sudeco, que oferece recursos com taxas de juros diferenciadas, prazo de até 20 anos para pagamento e carência de um ano após a data prevista para entrada em operação do empreendimento.

Além disso, o Fundo constitui importante mecanismo propulsor da Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR), no âmbito da Região Centro-Oeste, fortalecendo a atividade produtiva regional, bem como a geração de emprego e renda.

Assista o vídeo

Comunicações e Transparência Pública