Notícias

Entidades da indústria do Paraná lançam parcerias no setor de biogás

Fiep, Sebrae/PR, Sima e Simp celebram novos acordos de cooperação técnica com projeto liderado pelo MCTI
Publicado em 20/05/2021 17h48 Atualizado em 18/06/2021 14h48
Fotogefbiogas.jpg

O estado do Paraná conta com novas iniciativas voltadas para a produção de biogás a partir da gestão sustentável dos resíduos orgânicos da agroindústria e de ambientes urbanos. A Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná (Sebrae/PR), o Sindicato das Indústrias de Mandioca do Paraná (Simp), e o Sindicato das Indústrias de Móveis de Arapongas (Sima) anunciaram na terça-feira (18) dois novos acordos de cooperação técnica com o Projeto GEF Biogás Brasil.

O Projeto é liderado pelo MCTI - Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, implementado pela Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) e conta com o Centro Internacional de Energias Renováveis (CIBiogás) como principal entidade executora.
Os novos acordos de cooperação foram lançados durante um webinar ao vivo que contou com a participação de oito representantes das entidades envolvidas e três palestras técnicas sobre o tema. As novas parcerias reforçam o potencial produtivo do Paraná, apoiam a criação de modelos de negócio inovadores, e fomentam o desenvolvimento de novos projetos no setor.

O biogás é uma fonte renovável de energia, combustível e fertilizante. Investir em biogás significa dar um fim sustentável aos resíduos da cadeia produtiva, reduzir os custos da atividade industrial com energia e combustível, e criar oportunidades de negócios envolvendo a compra e venda de equipamentos e serviços.

 

 
Durante o webinar de lançamento, o diretor do departamento de tecnologias aplicadas do MCTI, Eduardo Soriano, contou que o Projeto GEF Biogás Brasil vem firmando acordos de cooperação com diversas associações empresariais, universidades e empresas para consolidar o biogás como uma alternativa energética competitiva no país. “O Projeto é bastante oportuno, porque ocorre no momento em que o Governo Federal está estruturando novos programas na área de biocombustíveis, incluindo o biogás e o biometano”, explicou Soriano.

“O Paraná tem papel de liderança neste setor no país”, disse o representante da UNIDO no Brasil, Alessandro Amadio. “Essa é uma oportunidade para desenvolvermos modelos de negócios que resultem em um futuro sustentável, com geração de emprego e renda”, reforça Amadio.

“Ambos acordos celebrados trazem propostas inovadoras para a geração de energia limpa, e reforçam nosso compromisso com a indústria do Paraná e com a sociedade na busca por modelos sustentáveis de energia”, afirmou o presidente do Sima e vice-presidente da Fiep, Irineu Munhoz.

Em seguida, Munhoz detalhou as duas novas parcerias lançadas durante o evento online: “O acordo envolvendo o Sima trata da mudança do gás utilizado atualmente nas empilhadeiras do setor moveleiro, que é derivado do petróleo, para o biometano, obtido a partir do biogás produzido por meio dos resíduos orgânicos de aves poedeiras e dos processos de compostagem de resíduos urbanos. Essa iniciativa ganhou ainda mais força após o envolvimento da prefeitura de Arapongas. Já o acordo envolvendo o Simp implica em transformar os resíduos orgânicos gerados durante a produção de derivados da mandioca em energia a partir do biogás para uso pela própria indústria, reduzindo custos com energia e dando um destino adequado aos resíduos”.

O webinar de lançamento foi mediado pelo gerente de assuntos estratégicos da Fiep, João Arthur Mohr, e teve a participação do diretor presidente do CIBiogás, Rafael Gonzalez, do diretor de operações do Sebrae/PR, Julio Cesar Agostini, do secretário da indústria e comércio de Arapongas, Nilson Violato, e do presidente do Simp, Guido Bankhardt.

Após as falas iniciais dos representantes, o webinar contou com apresentações técnicas do coordenador do conselho temático de energia da Fiep, Rui Londero Bennetti, e dos consultores da UNIDO pelo Projeto GEF Biogás Brasil Emilio Beltrami e Luis Felipe Colturato. As palestras trataram do histórico da cooperação, bem como da estruturação da cadeia de valor do biogás e de modelos de negócios voltados para projetos do setor.

Além de fomentar a produção de biogás por meio de parcerias com empresas e entidades setoriais, o Projeto GEF Biogás Brasil trabalha com o setor público para modernizar políticas relacionadas à fonte de energia renovável, e oferece diversos mecanismos de apoio a empreendedores, como ferramentas digitais, cursos online, estudos atualizados e assistência especializada. Para saber mais sobre o Projeto, acesse www.gefbiogas.org.br .

 


 

Ciência e Tecnologia