Notícias

Brasil e Argentina discutem cooperação no enfrentamento à Covid-19

Webinário realizado nesta terça-feira (4) reuniu autoridades dos dois países para apresentar ações contra a pandemia
Publicado em 04/05/2021 15h17
51157790706_b11835bfe0_c.jpg

Foto: Leonardo Marques - SEAPC/MCTI

Representantes e pesquisadores do Brasil e da Argentina apresentaram as principais ações no enfrentamento da pandemia durante o Webinário Brasil-Argentina Covid-19, promovido pelos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovações dos dois países nesta terça-feira (4). A expectativa é intensificar a cooperação bilateral, por meio da RedeVírus MCTI, em estratégias como sequenciamento do vírus, desenvolvimento de vacinas e imunoterapias.

O webinário é o primeiro resultado do encontro virtual entre os ministros da Ciência, Tecnologia e Inovações do Brasil, Marcos Pontes, e da Argentina, Roberto Salvarezza, realizado em março deste ano, quando decidiram retomar o comitê binacional nas áreas de ciência e tecnologia. O projeto prevê a cooperação entre os dois países em diversos temas de interesse em comum das duas nações no enfrentamento à pandemia de Covid-19 e também em áreas como biotecnologia, nanotecnologia, setor espacial e setor nuclear.

“Neste momento, precisamos intensificar as nossas cooperações no enfrentamento da pandemia. Os dois países têm muito a contribuir para toda a região da América Latina”, afirmou o secretário de Pesquisa e Formação Científica do MCTI, Marcelo Morales, na abertura do webinário. Ele fez um retrospecto das ações realizadas pelo ministério no Brasil desde a criação da RedeVírus MCTI, em fevereiro de 2020, que definiu as prioridades no enfrentamento do coronavírus: desenvolvimento de vacinas; medicamentos (reposicionamento de fármacos); diagnósticos; sequenciamento em larga escala do vírus circulante no Brasil; biobanco, impactos sociais e econômicos.

O secretário de Planejamento e Políticas em Ciência, Tecnologia e Inovação do ministério argentino, Diego Hurtado, fez um resumo das principais estratégias adotadas pelo governo do país, que incluem o desenvolvimento de testes diagnósticos, tratamentos com uso de soro equino e sequenciamento do vírus. “Os dois países tiveram uma trajetória paralela de esforços na resposta à pandemia.” Segundo ele, Argentina e Brasil estão seguindo a recomendação da Comissão Econômica para a América Latina (CEPAL) de que os países da região estreitem os vínculos de colaboração para responder à emergência da Covid-19 e também a médio e longo prazos nas áreas científica e tecnológica.

Pesquisadores

Para o chefe da Assessoria Especial de Assuntos Internacionais do MCTI, Bernardo Milano, os esforços têm de ser conjugados e os cientistas e membros de governo das duas nações têm de trabalhar juntos. “Estamos diante de um quadro totalmente novo e inusitado há cerca de um ano e meio. Isso nos fez entender o quanto é importante o trabalho conjunto.”

Durante o Webinário Brasil-Argentina Covid-19, pesquisadores dos dois países apresentaram um panorama atualizado do trabalho que está sendo realizado em três temas específicos: sequenciamento do vírus e de novas variantes; desenvolvimento de vacinas e imunologia, além de imunoterapias. A íntegra do webinário está disponível na página do MCTI no Youtube, que pode ser acessada pelo link https://www.youtube.com/watch?v=2_CjciMCqXQ.

 

 

Ciência e Tecnologia