Notícias

MCTI apoia desenvolvimento de novo medicamento contra Covid-19, revela ministro Marcos Pontes

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, ministro anunciou que novo remédio ainda está na fase pré-clinica e detalhou andamento de vacinas brasileiras financiadas pelo MCTI
Publicado em 05/04/2021 16h40 Atualizado em 05/04/2021 16h41
51097158744_b12bc2bef7_k.jpg

Foto: Leonardo Marques - ASCOM/MCTI

Um novo medicamento nacional para tratar pacientes infectados pela Covid-19 está sendo desenvolvido com apoio do MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, anunciou nesta segunda-feira (5) o ministro Marcos Pontes, durante entrevista ao programa Manhã Bandeirantes, da Rádio Bandeirantes. “Temos um remédio 100% nacional para a Covid que está sendo testado. Assim que estiverem prontos os pré-clinicos, vamos entrar com um pedido na Anvisa para dar início aos testes com pacientes. Isso não tá muito distante não”, afirmou o ministro.

Na entrevista, o ministro também detalhou o estágio das vacinas brasileiras contra a Covid-19 financiadas pelo governo federaI. Segundo ele, a expectativa é que a Versamune®-CoV-2FC-MCTI seja concluída até o fim deste ano. “Pode ser viável que até o final do ano a gente tenha essa vacina nacional, entrando em um rol de todas essas outras vacinas importadas.”

A Versamune, desenvolvida pelo MCTI em conjunto com a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP, aguarda a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para dar início aos testes clínicos com pacientes. As fases 1 e 2 devem durar de 2 a 3 meses e a fase 3, de 6 a 9 meses. O ministro explicou que outras duas vacinas apoiadas pelo MCTI estão em estágio avançado, uma vacina de spray nasal e uma vacina ambivalente contra gripe e covid-19.

“Ter uma vacina nacional faz parte de uma estratégia do MCTI de responder à pandemia e também combater outras doenças que afetam os brasileiros”, afirmou Marcos Pontes. De acordo com ele, ter uma vacina desenvolvida no Brasil permite fazer ajustes em relação às mutações do vírus e também garante soberania na imunização da população, que pode precisar de vacinação anual.

Orçamento

Ao ser questionado pelo apresentador Agostinho Teixeira, o ministro confirmou a redução do orçamento do governo federal para o MCTI em 2021, que sofreu um corte de cerca de 20%. “Os recursos para o ministério vêm diminuindo desde 2013. Com esse orçamento, é difícil dar andamento aos projetos.”

Segundo Pontes, a solução para aumentar os investimentos em ciência no Brasil é a liberação de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Ciência e da Tecnologia (FNDCT), aprovada pelo Congresso Nacional, que pode garantir um incremento de R$ 3,5 bilhões por ano para o setor.

O ministro reforçou a importância da ciência e a capacidade dos pesquisadores e cientistas brasileiros. “Confiem na ciência brasileira. Temos cientistas excelentes no nosso país. E quantos mais talentos a gente conseguir atrair para a área de ciência e tecnologia, melhor.”

Ciência e Tecnologia