Notícias

Mês Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovações - MNCTI

Pesquisador explica aplicações de Inteligência Artificial para a saúde no 1º dia da SNCT

Tema do evento é “Inteligência Artificial: a nova fronteira da ciência”
Publicado em 18/10/2020 13h23 Atualizado em 18/10/2020 13h42

Começou a 17ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. A partir deste sábado (17) até o dia 23 de outubro, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) traz no canal do YouTube uma série de eventos virtuais com o tema “Inteligência Artificial: a nova fronteira da ciência”. O objetivo é mostrar como essa nova tecnologia tem a capacidade de revolucionar diferentes áreas da nossa vida.

 Neste sábado, o painel “O uso da inteligência artificial como apoio em decisões de tratamentos médicos” trouxe o pesquisador Rodrigo Bonacin, do CTI Renato Archer, unidade de pesquisa do MCTI, que explicou como a IA está sendo usada em hospitais oncológicos e no Centro Infantil Boldrini, de Campinas (SP), para o diagnóstico do câncer infantil e para tratamentos mais rápidos.

 O pesquisador introduziu os conceitos e as diversas aplicações da informática médica, como o sistema de informações em saúde; bases de dados sobre saúde pública; sistemas de telesaúde e telemedicina, que prestam saúde à distância.

 “A informatização do prontuário do paciente gerou um grande volume de dados. A gente tem a partir desse ponto novas possibilidade de explorar esses volumes de dados para melhorar um tratamento, apoiar a pesquisa na área de saúde, então esses grandes volumes devem ser pensados como uma mina de ouro onde se extrai o que tem o que tem valor”.

 A partir do trabalho com esse volume de dados começam a ser usadas as ferramentas de ciência de dados, inteligência artificial e aprendizado de máquina.

 “A inteligência artificial aplicada a saúde está proporcionando cada vez mais impacto em tópicos como o apoio a decisão médica, descoberta de novos medicamentos, equipamentos mais avançados, diagnóstico automático, pesquisa e ciência mais avançado, estudos de genoma e processos biológicos”

 Já a parceria com o Centro Infantil Boldrini, em Campinas (SP) tem o objetivo de construir ferramentas para análise de dados clínicos e visualização dessas informações e consequentemente um melhor tratamento dos pacientes.

 “Nossa ideia é trabalhar novas fontes do Centro Infantil Boldrini para melhorar a extração do conhecimento no apoio a decisões médicas. A gente trabalha com as bases existentes e construindo um caminho futuro com o CTI e empresas de software. Como exemplo, com a análise de tabelas de morfologia, grau da doença e prognóstico, a gente consegue melhorar a previsão de recidiva (retorno da doença)”.

 

Ciência e Tecnologia