Notícias

Estudantes medalhistas das olimpíadas internacionais de Economia e Matemática são recebidos pelo Presidente da República

Presidente anunciou os estudantes durante a cerimônia de lançamento do Programa Genomas Brasil, do Ministério da Saúde
Publicado em 15/10/2020 14h08 Atualizado em 15/10/2020 14h56
50489302743_64481924e5_o.jpg

Foto: Neila Rocha - ASCOM/MCTI

Estudantes componentes das equipes brasileiras que venceram a Olimpíada Internacional de Economia e o time que conquistou o melhor resultado do país na Olimpíada Internacional de Matemática, com o 10º lugar, foram recebidos nesta quarta-feira (14), pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. Os alunos foram anunciados durante o lançamento do Programa Genomas Brasil, no Palácio do Planalto.

Segundo o presidente, a conquista dos estudantes mostra que o Brasil possui material humano para alcançar o sucesso. “Esse é um motivo de orgulho para todos nós. Uma conquista que não tem preço. Vocês poderão e muito ajudar no futuro do Brasil”, disse aos jovens. O presidente também destacou o papel do ministério da Economia e outras pastas para mitigar os efeitos da pandemia no Brasil.

Durante a agenda em Brasília, os estudantes, junto com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, também foram recebidos pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. No encontro, Pontes destacou o esforço da pasta em incentivar a maior participação de jovens na ciência e em ações de popularização científica. Paulo Guedes se emocionou ao conversar com os alunos e falou da importância da preparação para tomar decisões que beneficiem a população.

“Eu tenho muito orgulho de vocês. Vocês estão de parabéns. Quando eu tinha 10 anos eu ganhei uma olimpíada no colegial e foi o início dessa noção que eu podia ser mais, fazer mais. Vocês ganharam um concurso com 20 milhões de participantes no Brasil e outro internacional com outros milhões de participantes de outros países”, destacou.

Foto: Neila Rocha - ASCOM/MCTI

 

Professores

A comitiva de estudantes também foi acompanhada por professores que ajudaram na preparação dos times para as competições.

O professor Gustavo Wigman, de São Paulo (SP), que apoia a Olimpíada Brasileira de Economia, afirma que este é um momento especial para o reconhecimento do evento.  Ele ressalta que a competição é gratuita e qualquer estudante interessado pode acessar o site https://obecon.org/ para obter informações. Ele também fala sobre a diferença que o evento tem na vida dos alunos vencedores e para o país.

“Ter a chance de competir pelo país, conseguir em 3 participações internacionais, um primeiro lugar e dois campeonatos mundiais, coloca o país em outro patamar no nível de educação, inspira outros jovens a participar e os ajuda a ter visibilidade, conseguir bolsas para estudar fora do Brasil. Isso inspira outros jovens a seguir esse caminho”, afirma.

Já o professor Francisco Holanda, de Goiânia (GO), que participou do treinamento dos alunos da Olimpíada de Matemática, afirma que o evento vem apresentando resultados positivos, mas o espaço continua aberto para a participação de mais jovens, que podem se mobilizar conversando com os professores, procurando informações na internet e acreditando em sua capacidade.

“O mais importante nesse momento é a divulgação. Pouca gente conhece esse mundo de olimpíada, um mundo que abre as portas do mundo científico aos jovens. Mais gente conhecendo, mais alunos e professores envolvidos, isso vai potencializar esse processo de chamar os jovens para esse universo”, disse.

Resultados

Na Olimpíada Internacional de Economia, os estudantes são desafiados a pensar em soluções reais para problemas complexos. O país foi campeão com 3 medalhas de ouro e 2 de prata competindo contra equipes como a dos Estados Unidos, China, Rússia e Nova Zelândia.

Ganharam a medalha de ouro os alunos Guilhermo Cutrim Costa, de São Paulo (SP); Ícaro Andrade Souza Bacelar, de Fortaleza (CE); e Luiz Eduardo Tojal Ramos Santos, de São Paulo (SP). Foram premiados com a prata, Diogo Mendonça Leite, de Patos de Minas (MG) e  Ishan Matheus de Campos Unni, de São José dos Campos (SP).

Já na Olimpíada de Matemática, as equipes são submetidas a provas que testam seu conhecimento na área. O país ficou em 10º lugar entre 105 países, com a conquista de uma medalha de ouro e cinco de prata, a frente de Alemanha, Japão e França.

O ouro brasileiro foi conquistado por Pedro Gomes Cabral, de Fortaleza (CE). Conquistaram a prata Bernardo Peruzzo Trevizan, de São Paulo (SP); Guilherme Zeus Dantas e Moura, de Maricá (RJ); Francisco Moreira Machado Neto, de Fortaleza (CE); Gabriel Ribeiro Paiva, de Fortaleza (CE); e Pablo Andrade Carvalho Barros, de Teresina (PI).

Ciência e Tecnologia