Notícias

DESBUROCRATIZAÇÃO

Governo ultrapassa 250 serviços transformados em digitais durante a pandemia

A aceleração da digitalização nesse período é mais um estímulo para que o cidadão use outros serviços on-line, que já estavam disponíveis
Publicado em 03/08/2020 15h29

A aceleração da digitalização de serviços públicos depois do começo da pandemia de coronavírus, em março, rompe nova marca. O governo brasileiro transformou 251 serviços em digitais. Entre os principais destaques, estão o Auxílio Emergencial de R$ 600 (Covid-19) e o Seguro Desemprego do Empregado Doméstico, digitalizados neste período para facilitar o acesso da população e reduzir os impactos negativos da pandemia.

O aumento dos acessos ao portal Gov.br, que concentra todos os serviços digitais do governo federal, é indicativo da migração do cidadão que utilizava o atendimento presencial dos órgãos públicos para o atendimento digital. Enquanto houve 4,6 milhões de diferentes pessoas acessando os serviços no portal em janeiro deste ano, o número em junho já chegava a 12,1 milhões de usuários.

O impacto na vida do cidadão que mais precisa é perceptível. Beneficiária do Benefício de Prestação Continuada (BPC), do governo federal, Conceição de Maria Gomes da Costa, 56 anos, vive na Vila do Pequenino Jesus, em Brasília, local que acolhe pessoas com deficiência. Ela destaca a facilidade que encontrou: “Consegui meu BPC através do on-line. Só tive de fazer a perícia médica e consulta de assistente social do INSS. Não precisei ir lá pessoalmente para pedir.”

Conceição fez uso de um dos aplicativos mais procurados do governo federal, o Meu INSS, que reúne 90 serviços já digitalizados do Instituto Nacional do Seguro Social. Os aplicativos mais procurados pela população são, nesta ordem: 
• Carteira de Trabalho Digital, com 8.437.557 instalações hoje ativas em celulares; 
• Carteira Digital de Trânsito, com 7.770.086 instalações ativas; 
• Meu INSS - Central de Serviços, com 5.403.080 instalações ativas.

65 milhões de atendimentos deixam de ser presenciais

Desde janeiro do ano passado, o governo federal transformou 824 de seus serviços em digitais. A estimativa da Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia, órgão central da transformação digital do governo, é de economia de mais de R$ 2 bilhões anuais somente com esses serviços digitalizados.

A meta definida pela Estratégia de Governo Digital, publicada em abril, é atingir os 100% de digitalização até o final de 2022. Hoje, 59% do total de 3,3 mil serviços já é totalmente digital. A estimativa é de que, devido à digitalização já realizada, 65 milhões de atendimentos anuais deixam de ser presenciais nos órgãos públicos. Durante o período da pandemia, tem havido maior procura por serviços que já estavam disponíveis na forma on-line, como as carteiras de trabalho e de trânsito e os do Meu INSS.

“É uma transformação para o governo, que procura ser mais acessível e ágil na prestação de serviços públicos, e mais ainda na vida do cidadão”, ressalta o coordenador de Relacionamento e Portfólio, Marcos Ricardo dos Santos. “Pessoas que antes tinham de se deslocar para agências e outras unidades de órgãos públicos agora conseguem fazer o atendimento completo pelo celular, notebook ou computador, sem sair de casa.”