Notícias

PRÊMIO CAPES DE TESE

Tese premiada avalia os efeitos do consumo da farinha de chia

O consumo diário, além de melhorar as taxas de colesterol, contribui para o bom funcionamento do intestino
Publicado em 17/11/2020 09h22 Atualizado em 18/11/2020 23h55

Estudo realizado pela nutricionista Bárbara Pereira da Silva, do Programa de Ciências da Nutrição da Universidade Federal de Viçosa (UFV) avaliou os efeitos do consumo diário da farinha de chia. A pesquisa de doutorado foi a vencedora do Prêmio CAPES de Tese 2020 na área de nutrição.

 “A semente de chia tem sido consumida cada vez mais pela população mundial devido aos seus efeitos protetores, funcionais e antioxidantes, atribuídos à presença de lipídios, fibra alimentar, compostos antioxidantes, vitaminas e minerais. Dentre os minerais, destacam-se o cálcio, o ferro e o zinco”, explica a nutricionista.

Segundo Bárbara, o trabalho observou o impacto da ingestão do pseudocereal na quantidade da absorção de cálcio, ferro e zinco pelo organismo. A chia não pertence à família dos cereais, mas possui características similares: alto teor de fibra associado a uma percentagem de proteína.

Os resultados demonstraram que o seu consumo regular contribuiu para a saúde do intestino – diminuindo o processo inflamatório e o envelhecimento precoce –, potencializou a funcionalidade do órgão e da flora intestinal. O alimento ajudou ainda na regulação das taxas de colesterol e triglicerídeos do organismo.

Segundo a pesquisadora, seu trabalho traz importantes contribuições para a área de Nutrição e para a sociedade. Ela afirmou que conhecer as novas propriedades biológicas das substâncias bioativas presentes nos alimentos como a chia, torna-se importante para dar subsídios às prescrições alimentares para que a população possa ser orientada nas escolhas alimentares mais saudáveis.

Prêmio CAPES de Tese 2020
A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) divulgou no dia 1º de outubro o resultado do Prêmio CAPES de Tese 2020, oferecido às melhores teses de doutorado defendidas em 2019. No total, 49 trabalhos foram premiados e outros 94  receberam menções honrosas.

Criado em 2005, o Prêmio CAPES de Tese é fruto da parceria entre a CAPES, a Fundação Carlos Chagas, a Comissão Fulbright, o Instituto Serrapilheira e, mais recentemente, a Dimensions Sciences (DS), uma organização não governamental norte-americana que irá condecorar doutoras no Prêmio CAPES de Tese. Esta é a primeira vez que a Coordenação apoia uma premiação voltada especificamente às mulheres.

Os critérios de seleção consideram a originalidade do trabalho, sua relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, social e de inovação. Dentre os agraciados sairão os vencedores do Grande Prêmio, oferecido ao destaque de cada uma das três grandes áreas do conhecimento: Ciências da Vida, Humanidades e Exatas. A cerimônia de premiação acontecerá em dezembro.

Legenda das imagens:
Imagem 1: O consumo diário da farinha de chia, além de melhorar as taxas de colesterol e triglicerídeos, contribui para o bom funcionamento do intestino (Foto: Divulgação) 
Imagem 2: Bárbara Pereira da Silva vencedora do Prêmio CAPES de Tese 2020 na área de nutrição (Foto: Arquivo pessoal)

(Brasília – Redação CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura CCS/CAPES