Notícias

EDUCAÇÃO E CORONAVÍRUS

Audiência no Senado: CAPES oferece bolsas para estudos sobre reflexos da pandemia

Em audiência do Senado, presidente da Fundação falou sobre diagnósticos e soluções para consequências da COVID-19
Publicado em 15/07/2021 13h52 Atualizado em 15/07/2021 13h55

A CAPES apresentou nesta segunda-feira, 12 de julho, uma proposta para concessão de 210 bolsas voltadas aos diagnósticos e soluções para as consequências da pandemia no País. Cláudia Queda de Toledo, presidente da Fundação, falou sobre a iniciativa em audiência no plenário virtual do Senado.

A Fundação quer financiar até 30 projetos, cada um com duas bolsas de mestrado, três de doutorado e duas de pós-doutorado. “Houve uma pequena variação de preenchimento nas cotas junto às universidades em relação às bolsas concedidas no País. Trata-se de ação estratégica que não requer suplementação orçamentária”, disse Cláudia de Toledo sobre a iniciativa, que tem o apoio de Milton Ribeiro, ministro da Educação.

Proposta pela senadora Leila Barros (PSB-DF), a reunião debateu a educação na pandemia e o funcionamento das instituições de avaliação de políticas públicas. Além da apresentação do edital para as bolsas, Cláudia de Toledo destacou que a Avaliação Quadrienal 2017-2020 segue normalmente. A presidente também lembrou o investimento de R$53,7 milhões e a concessão de 1.959 bolsas no estímulo a pesquisas sobre a COVID-19 e outras doenças pelo Programa de Combate a Epidemias.

Apesar das dificuldades impostas pelo novo coronavírus, Cláudia ressaltou a continuidade dos trabalhos da pós-graduação no País. “As bolsas no País se mantiveram íntegras, intactas, sendo pagas. Os nossos mestrandos, doutorandos e pós-doutorandos continuaram na rotina de pesquisa”, disse.

A fala da presidente da CAPES incluiu, ainda, a missão da Fundação, presente desde 2007: aperfeiçoamento na formação de professores da educação básica e estudantes de licenciatura. Cláudia de Toledo ressaltou que a educação a distância permaneceu em andamento através da Universidade Aberta do Brasil (UAB) e que os Programas Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) e de Residência Pedagógica prosseguem.

O aniversário da CAPES, que completou 70 anos no domingo, 11 de julho, também foi lembrado pela presidente: “Esses 70 anos trazem uma história muito forte, de formação de mestres e doutores e, há quase 15 anos, de alta formação de profissionais de educação básica. É um órgão de Estado que merece toda essa comemoração”.

Estiveram presentes na reunião Mauro Luiz Rabelo, secretário de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Tomás Dias Sant'Ana, secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Danilo Dupas Ribeiro, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Vitor de Angelo, presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Renato Janine, presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Maria Inês Fini, presidente da Associação Nacional de Educação Básica Híbrida (Anebhi), entre outros participantes e diversos senadores.

Legenda das imagens:
Banner e imagem dentro da matéria: Montagem de uma imagem ilustrativa e um print da reunião (Foto: iStock/sompongLekhawattana) 

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) é um órgão vinculado ao Ministério da Educação (MEC).
(Brasília – Redação CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura CCS/CAPES