Notícias

Força-Tarefa SUSP prende no Ceará dois suspeitos de integrar facção criminosa

Prisões ocorreram a partir de investigações e informações levantadas da Polícia Federal
Publicado em 13/07/2021 18h30
FT SUSP.jpeg

Brasília, 13/07/2021 – A Força-Tarefa SUSP de Combate ao Crime Organizado do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) prendeu, na noite desta segunda-feira (12), no município de Chorozinho, na Grande Fortaleza (CE), dois suspeitos de integrar facção criminosa de atuação nacional. Um indivíduo responde por tentativa de homicídio e roubo e o outro por tráfico de drogas.

A ação ocorreu após a troca de informações levantadas pela Polícia Federal. O primeiro foi preso pela Polícia Rodoviária Federal, em Chorozinho, com veículo clonado e Carteira Nacional de Habilitação falsa e o outro pela Polícia Militar, na BR-116, com armas e munições.

Os presos foram encaminhados à sede da Polícia Federal e autuados em flagrante pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo, receptação, adulteração de sinal identificador de veículo automotor e uso de documento falso.

A prisão foi efetuada graças ao trabalho conjunto da Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, Departamento Penitenciário Nacional, Secretaria de Administração Penitenciária e Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, membros da Força-Tarefa SUSP, lançada em janeiro deste ano e coordenada pela Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (Seopi/MJSP).

Força-Tarefa SUSP

O Plano de Forças-Tarefas SUSP de Combate ao Crime Organizado foi lançado em janeiro deste ano pelo MJSP e conta com a atuação conjunta, integrada e coordenada entre as polícias da União e dos estados. As ações terão como foco prevenção, repressão, monitoramento e investigação de grandes organizações criminosas a partir da atuação conjunta entre as polícias da União e dos estados. Além disso, as forças-tarefas pretendem isolar lideranças do crime organizado no sistema prisional, bem como descapitalizar facções por meio de bloqueio e venda antecipada de bens.

Os quatro eixos de atuação do Plano são: Inteligência de todos os órgãos de segurança pública envolvidos, análise criminal estratégica, policiamento ostensivo de forma especializada e adoção de procedimentos investigativos capazes de dar respostas efetivas e oportunas para a redução e repressão à criminalidade.

Justiça e Segurança