Notícias

Arquivo Nacional inaugura 5ª Semana de Arquivos com recorde de eventos

Publicado em 08/06/2021 12h40 Atualizado em 08/06/2021 13h38
Arquivo Nacional inaugura 5ª Semana de Arquivos com recorde de eventos

Brasília, 08/06/2021 - Foi realizada, na última segunda-feira (7), a abertura oficial da 5ª Semana Nacional de Arquivos (SNA), uma temporada de eventos organizada pelo Arquivo Nacional que reúne 230 instituições de memória, um aumento de 31% em relação à edição anterior e um recorde para a iniciativa no país.

Neste ano, a Semana de Arquivos acontece entre 7 e 11 de junho, período escolhido em função do Dia Internacional dos Arquivos (9 de junho). São lives, seminários, exposições, cursos, exibições de filmes etc., produzidos para celebrar a data e valorizar os acervos sob a guarda das instituições. A programação completa pode ser consultada aqui.

Em sua fala de abertura, a Diretora-Geral do Arquivo Nacional Neide De Sordi, ressaltou o fato de se tratar de uma edição histórica da SNA, a maior desde sua criação, e a segunda integralmente on-line. Com o objetivo de aproximar a sociedade de seus arquivos e centros de memória, serão realizados, no Brasil, 482 eventos virtuais, em conformidade com a hashtag #EmpoderandoArquivos, instituída pelo Conselho Internacional de Arquivos para nortear as comemorações pelo mundo. A proposta abrange temas como transparência, accountability, diversidade, inclusão e colaboração em rede. “Esses temas priorizados pelo Conselho são princípios de Governo Aberto, que estão associados ao acesso à informação”, lembrou De Sordi. “Empoderar arquivos é colocá-los no centro dessas questões”.

John Sheridan, diretor digital do arquivo nacional do Reino Unido, foi o convidado que abriu a temporada de eventos, e levantou os desafios atuais para a manutenção da integridade dos arquivos. Os governos têm o compromisso de preservar a integridade dos documentos, mas Sheridan apontou que, com as infinitas possibilidades de (re)produção e adulterações na perspectiva da Era Digital, a escala de produção de materiais fabricados, como os “deepfakes’, cresceu assustadoramente.

Ele abordou, em sua apresentação, o uso da tecnologia “blockchain”, que possibilitou a criação das criptomoedas, para garantir a proveniência dos dados que são produzidos e geridos nos órgãos oficiais, e armazenados nas entidades de guarda. Para Sheridan, o “blockchain” poderia viabilizar o rastreamento do envio e recebimento das informações, gerando uma “impressão digital” capaz de demonstrar, com o apoio de recursos de Inteligência Artificial, o conteúdo imutável dos documentos digitais. Em testes, a tecnologia desenvolvida conseguiu detectar alterações com até 95% de precisão, como, por exemplo, a adulteração de poucos segundos em vídeos com mais de duas horas de duração.

O segundo convidado da abertura foi o diretor do Arquivo Nacional da Costa Rica, Alexander Barquero, que tratou das estratégias para se enfrentar o que chamou de “desafio digital” no contexto dos arquivos de seu país.

Segundo ele, a escassez de recursos e a resistência a mudanças em geral representam obstáculos à meta estabelecida pelo governo costarriquenho para que, a partir de 2021, 75% dos documentos da administração central fossem produzidos, gerenciados e mantidos em formato digital. Por outro lado, pontuou Barquero, trata-se de uma questão complexa de redefinição de valores nas políticas públicas, para se ajustar a novos serviços e tecnologias.

Nesse sentido, por ocasião do bicentenário da independência da Costa Rica, celebrado neste ano, foi traçada uma estratégia para a transformação digital que, no caso dos arquivos, inclui a definição de uma política nacional que promova o acesso à informação, a gestão e preservação de documentos, além do fortalecimento do sistema de arquivos.

Para assistir à abertura oficial da 5ª SNA na íntegra, com tradução simultânea para o português, clique aqui.

Justiça e Segurança