Notícias

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

Governo ultrapassa os 300 novos serviços digitalizados durante a pandemia

Neste momento, 60% dos serviços do governo federal já podem ser solucionados via on-line. Meta é atingir os 100% em 2022
Publicado em 09/09/2020 10h45

O governo brasileiro ultrapassou os 300 novos serviços digitalizados neste período da pandemia de coronavírus. Desde março, foram 310. Ou seja, a cada dois dias, a população teve acesso a mais de três novos serviços digitais. A meta é atingir os 100% de transformação digital até o final de 2022.

A digitalização conquistou brasileiros que jamais haviam acessado serviços públicos pelo celular. É o caso de Bruna Adriele Ferreira da Silva Gedis, 21 anos. "Dias antes de lançarem o Auxílio Emergencial, eu tinha sido aprovada no Bolsa Família. Daí, nem precisei correr para comprovar nada. O Auxílio já veio automático na conta, caiu certinho todo dia 20 do mês. Eu achei super prático, tudo digital", conta a jovem, que cria sozinha a filha Eloa Louise, de três. "Só baixei o aplicativo do Bolsa Família e já fui avisada que ia receber o Auxílio."

Moradora do Recanto das Emas (DF), Bruna diz ter conseguido manter as contas em dia durante a pandemia graças ao Auxílio Emergencial e, ainda, se estruturar para achar um emprego fixo. Há um mês, está em contrato de experiência em uma concessionária de veículos de Brasília. "Foi ótimo como tudo aconteceu pra mim", reconhece.

A popularização da transformação digital durante a pandemia, período com restrições de deslocamento de parte das pessoas, ainda trouxe como consequência um aumento de acessos a serviços já existentes. Hoje, 60% dos 3,7 mil serviços existentes são digitais, com especial destaque para o Meu INSS (do Instituto Nacional do Seguro Social), carteira de trabalho e carteira de trânsito, cujos aplicativos são alguns dos mais procurados nas lojas oficiais do governo.

A dona de casa Keila de Oliveira Leal, 37 anos, do Riacho Fundo II (DF), aderiu de vez ao aplicativo Meu INSS, do Instituto Nacional do Seguro Social, para controlar extratos e pagamentos, renovar cadastros e conferir se está ativo o Benefício de Prestação Continuada (BPC) da filha, Sarah, 16 anos. "Fico muito satisfeita, porque não preciso hoje, na quarentena, ficar me expondo nas filas para resolver o que preciso com uma filha com deficiência. Não tenho carro, então, uso ônibus para ir lá. O aplicativo trouxe essa facilidade para mim e, toda vez que entro, a resposta é muito rápida", atesta ela.

Economia anual de R$ 2 bilhões

Com os serviços digitalizados desde janeiro do ano passado, a economia chega a R$ 2 bilhões. Desse total, R$ 1,5 bilhão é poupado pelo cidadão, que deixa de enfrentar deslocamentos, perda de tempo e dinheiro inclusive com a contratação de despachantes na tentativa de acelerar a solução dos serviços.

“Desde o início da pandemia de coronavírus no país, conseguimos digitalizar mais de 300 novos serviços e alguns em tempo recorde, como o Auxílio Emergencial e Fazer Registro de Brasileiro com Voo Cancelado no Exterior. Com a impossibilidade que houve de sair de casa ou receber atendimento presencial em agências do governo, revimos cronogramas de entregas e priorizamos aqueles serviços que, digitalizados, evitariam mais aglomerações e beneficiariam os públicos mais necessitados neste momento”, ressalta o secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro.