Notícias

Unidade da Funai no RS realiza operação de fiscalização na maior Terra Indígena do estado

Publicado em 15/10/2020 16h42 Atualizado em 15/10/2020 17h02
cr passofundo cp.png

Imagem aérea da Terra Indígena Guarita feita por drone utilizado na ação de fiscalização

A Coordenação Regional Passo Fundo, unidade da Fundação Nacional do Índio (Funai) no Rio Grande do Sul, realizou uma operação de fiscalização nas Terras Indígenas Guarita e Inhacorá, no Noroeste do estado. Com uma população indígena de 7,3 mil habitantes, a TI Guarita possui 23,1 mil hectares, dos quais 15,3 mil de Mata Atlântica preservada. Já a TI Inhacorá possui 2,8 mil hectares, onde vivem 1,4 mil indígenas.

De acordo com informações da unidade da Funai de Passo Fundo, durante a operação os servidores da fundação utilizaram um drone para realizar a fiscalização dos territórios indígenas. Na TI Guarita, foram encontrados indícios de extração recente de madeira na parte norte do território. “Depois de derrubadas, as árvores eram serradas no local para retirada em forma de palanques, que são mais fáceis de transportar”, explica o coordenador regional Aécio Galiza Magalhães. 

Magalhães relata que a Funai atuou com o conhecimento do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O objetivo foi “evitar prejuízos ao meio ambiente e garantir a preservação dos territórios e de seu usufruto exclusivo pela população indígena”. A operação ocorreu entre os dias 28 de setembro e 2 de outubro. 

Ações e investimentos

Entre o segundo semestre de 2019 e o primeiro semestre deste ano, a Funai investiu R$ 4,8 milhões em ações de fiscalização em Terras Indígenas. No segundo semestre do ano passado, a Diretoria de Proteção Territorial realizou aproximadamente 200 ações de fiscalização, com investimentos de R$ 2,163 milhões. Já no primeiro semestre de 2020, cerca de R$ 2,642 milhões foram destinados para 269 ações de fiscalização, das quais 151 atividades apresentaram interface com os esforços de contenção da pandemia de covid-19 na população indígena. 

Entre as ações de fiscalização destacam-se as operações de combate ao desmatamento e garimpo ilegais em Terras Indígenas e a participação da Funai na Operação Verde Brasil 2, coordenada pelo Ministério da Defesa. Para realizar a fiscalização em postos avançados, a Funai mantém equipes permanentes em 20 Bases de Proteção Territorial (BAPE), cujos servidores realizaram 18 ações de proteção territorial, cinco expedições de localização/monitoramento de povos indígenas isolados e 17 ações específicas para promoção dos direitos dos povos indígenas de recente contato, além de ações de prevenção à covid-19 e de proteção territorial.

 

Assessoria de Comunicação / Funai

com informações da CR Passo Fundo

Meio Ambiente e Clima