Notícias

Entrevista: Secretário de Pesquisa e Formação Científica do MCTI, Marcelo Morales

Marcelo Morales, secretário de pesquisa e formação científica do MCTI, explica detalhes de um dos programas estratégicos do ministério, o Brasil-Biotec.
Publicado em 10/06/2021 17h06 Atualizado em 17/06/2021 15h46
ENTREVISTA-MARCELO-MORALES-SEPEF-MCTI.jpeg

O programa é parte da estratégia do MCTI de articulação das redes e grupos de pesquisa, com foco na eficiência econômica, na otimização da infraestrutura e na capacidade de inovação.

Quais os objetivos do programa Brasil-Biotec?

Estruturar e promover ações que contribuam com a Política Nacional de PD&I em Biotecnologia; estruturar a governança e coordenar os esforços do Estado na temática de biotecnologia; promover o avanço e o fortalecimento científico, tecnológico e a inovação nacional relacionados à biotecnologia; estimular o desenvolvimento conjunto de novas tecnologias e a transferência de conhecimentos e tecnologias, associados à biotecnologia, da academia para os setores público e privado, com vistas à geração de riqueza, emprego e crescimento nacional; mobilizar, articular e fomentar os atores nacionais públicos e privados para atuarem coordenadamente no desenvolvimento de processos, produtos, instrumentação e inovações na área de biotecnologia; garantir a universalização do acesso à infraestrutura avançada na área de biotecnologia para produção, caracterização, escalonamento e desenvolvimento tecnológico para a comunidade científica e para os setores público e privado; além de promover a formação, capacitação e fixação de recursos humanos, a educação em biotecnologia e sua divulgação.

Como a biotecnologia pode contribuir para o desenvolvimento dessas áreas?

Apenas para citar alguns exemplos: em saúde humana sua aplicação nos permite viver por mais tempo e de forma mais saudável; na agropecuária permite uma produção maior e mais sustentável de alimentos; no que se refere ao meio ambiente a biotecnologia nos permite usar menos energia e a produzi-la de forma mais limpa; no que diz respeito ao mar ela nos oferece novas maneiras de produzir e de lidar com poluição marítima e por fim, no que diz respeito à área industrial ela nos disponibiliza processos de manufatura mais limpos e eficientes.

Qual é o potencial do Brasil no setor de Biotecnologia?

O Brasil possui uma vasta biodiversidade com centros de PD&I de excelência e é referência na pesquisa na área de biotecnologia em setores como saúde e produção agropecuária. Precisamos investir cada vez mais na conversão do conhecimento gerado nos laboratórios em produtos e processos biotecnológicos que tragam benefícios para a sociedade brasileira.

Como o Programa Brasil-Biotec pode promover e fortalecer o setor?

Por meio de ações como o fomento a projetos de PD&I e a geração de produtos, processos e serviços em biotecnologia; a promoção do desenvolvimento científico e industrial da biotecnologia aproveitando as oportunidades e potencialidades regionais de cada bioma (Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pantanal, Pampa), da zona costeira e marinha; a promoção e continuidade dos processos de formação de recursos humanos especializados; o fortalecimento e estruturação de redes de pesquisa em biotecnologia; o fortalecimento de ambientes inovadores; a implantação e fomento de plataformas de escalonamento e de centros de recursos biológicos no Brasil; e a intensificação da cooperação internacional em biotecnologia.

O senhor poderia citar quais mecanismos o Programa deve utilizar para executar suas ações?

As ações da iniciativa Brasil-Biotec poderão ser executadas por meio de Chamadas Públicas, Acordos de Cooperação Científica, Tecnológica e de inovação e de outros instrumentos jurídicos necessários para viabilizar o financiamento e a execução da iniciativa.

Ciência e Tecnologia