Notícias

Governo Federal realiza segundo leilão na agenda de concessões de parques nacionais

Com previsão de R$ 90 milhões em investimento, leilão da Floresta de Canela é realizado pelo ICMBio
Publicado em 12/07/2021 18h50
1000x.png

- Foto: Arquivo ICMBio

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) realizou, nesta segunda-feira (12/7), a abertura de proposta para a concessão da Floresta Nacional de Canela/RS. A iniciativa prevê investimentos de mais de R$90 milhões para ações voltadas ao ecoturismo, incluindo revitalização, modernização, operação e manutenção, incluindo atividades de conservação, proteção e a gestão da unidade por um período de 30 anos. A agenda de concessões conduzida desde 2019 em conjunto pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), pelo Programa de Parceria de Investimentos (PPI) e pelo ICMBio, contempla um pacote de 18 parques nacionais.

No processo de concessão da Floresta Nacional de Canela, o próximo passo é a verificação da habilitação técnica do consórcio, permitindo assim a assinatura do contrato de concessão. Localizada a 6,4 km do centro do município, a Floresta tem uma área de 557 hectares, com altitudes que chegam a 840 metros, destacando-se como uma das áreas turísticas com maior potencial na principal rota turística do Sul do Brasil, a Serra Gaúcha. 

O secretário de Áreas Protegidas do Ministério do Meio Ambiente, André Germanos, pontuou que a concessão é uma ferramenta poderosa para aliar desenvolvimento e conservação ambiental. “Especialmente no entorno dos parques, a geração de emprego e renda acontece em vários níveis, desde grandes hotéis a pequenas pousadas, restaurantes, farmácias, guias, e ela faz com que toda a comunidade perceba a concessão e a unidade de conservação como um catalizador do seu crescimento pessoal, da sua melhoria de vida. Também faz com que as pessoas passem a olhar para a Floresta Nacional como um bem a ser protegido”, destacou. Para o Diretor de Programa do PPI, Alceu Justus Filho, “É muito importante a entrada de um projeto de florestas e parques nacionais porque acaba atendendo setores que, tradicionalmente, não tinham tanta experiência em concessão e agora entra para esse novo mundo, onde a gente consegue trazer através da parceria com a iniciativa privada uma gama de investimentos, trazendo um equipamento público para a população e uma boa qualidade na prestação de serviços para o usuário”.

Além da Floresta Nacional de Canela, outros 17 parques fazem parte do novo modelo de concessão de parques nacionais, conduzido pelo MMA, ICMBio e PPI. O modelo tem como objetivo o desenvolvimento econômico em todas as regiões brasileiras por meio do estímulo ao ecoturismo em parques nacionais e outros tipos de unidades de conservação federais. Com o aprimoramento da experiência turística, são atraídos recursos para melhorar a infraestrutura e a conservação de parques e florestas nacionais.