Notícias

Biodiversidade

Câmeras registram dois filhotes de onça-pintada no Parque Nacional do Iguaçu

Publicado em 02/12/2020 12h35
Onça-pintada

Câmera registra dois filhotes de onça-pintada.

Uma das câmeras instaladas no Parque Nacional do Iguaçu registrou a imagem de duas jovens onças-pintadas, com cerca de um ano de idade. Uma delas é fêmea, a outra ainda não foi possível identificar por causa da imagem distorcida. O nascimento dos filhotes é importante para a renovação e esperança de continuidade da espécie, comemoram os pesquisadores do Parque. As onças-pintadas podem ter de um a quatro filhotes. Eles ficam com a mãe por um período de até 2 anos. 

Dentro do Parque Nacional do Iguaçu é desenvolvido o Projeto Onças do Iguaçu, que tem como missão a conservação da onça-pintada como uma espécie chave para a conservação de toda a biodiversidade do Parque. A equipe do Projeto vem realizando um censo de onças-pintadas no Parque em 2020. A população de onças-pintadas do Corredor Verde (Brasil e Argentina) é monitorada pelas equipes do Proyecto Yaguareté (Argentina) e Projeto Onças do Iguaçu (Brasil) através de censos bianuais. “Esse é o maior esforço mundial para acompanhamento da espécie, tanto em área, pois são amostrados cerca de 600 mil hectares, quanto em período de amostragem, já que o censo é realizado desde 2003”, explica Yara de Melo Barros, coordenadora-executiva do Projeto Onças do Iguaçu.

Segundo ela, no último censo de onças-pintadas realizado em 2018, estimou-se que existem no Parque Nacional do Iguaçu 28 onças-pintadas, um aumento de 27% em relação à estimativa de 2016. Em toda a região do Corredor Verde, que abrange Brasil e Argentina, a estimativa foi de 105 onças-pintadas. O Censo 2020 teve início em outubro, e as armadilhas fotográficas ficam em campo até final do mês de dezembro. Serão três meses coletando informações sobre as onças. A análise desses dados vai gerar estimativas do número atual de animais tanto no Parque Nacional do Iguaçu quanto em toda a região do Corredor Verde. “O trabalho mostra como dois países podem trabalhar juntos para conservar essa espécie fantástica e tão ameaçada”, ressalta Yara. 

 “Onde Tem Onça Tem Vida”, esse é o lema dos censos. Como predador de topo de cadeia, a onça-pintada é um excelente indicador da qualidade do ambiente. Além da dificuldade que é instalar armadilhas mata adentro, os pesquisadores se depararam com o desafio da pandemia. Entretanto, a equipe segue protocolos sanitários que envolvem uso de máscaras, higienização de material usado e distância física. 

Comunicação ICMBio

comunicacao@icmbio.gov.br