Notícias

MCTI lança prêmio para promover pesquisa em biodiversidade

Projeto realizado em parceria com a FINEP/MCTI, CNPq/MCTI, RNP/MCTI e a Unesco visa revelar talentos e impulsionar a pesquisa científica e sustentável no país
Publicado em 22/12/2021 15h29

(Foto: divulgação/MCTI)

Revelar talentos, impulsionar a pesquisa científica e o desenvolvimento tecnológico e assim promover a inovação na temática de biodiversidade de modo a apoiar seu uso sustentável. Esses são os principais objetivos do Prêmio MCTI/FINEP de Biodiversidade lançado, de forma virtual, nesta terça-feira (21). O projeto coordenado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) tem a parceria da Unesco, e de três vinculadas do MCTI, a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Rede de Ensino e Pesquisa (RNP). 

O prêmio terá duas categorias. A primeira de produção acadêmica, destinada a graduados, estudantes de graduação, pós-graduação e pesquisadores que apresentem produção acadêmica com potencial de gerar exploração econômica sustentável da biodiversidade e manutenção e ampliação dos serviços ecossistêmicos. A segunda categoria, desenvolvimento tecnológico e inovação direcionado a qualquer cidadão que apresente uma ação com foco no desenvolvimento tecnológico e inovação que permita a exploração econômica sustentável da biodiversidade e manutenção e ampliação dos serviços ecossistêmicos. Nas duas categorias os valores da premiação é o mesmo. Primeiro lugar R$ 15 mil, segundo lugar R$ 7 mil e terceiro lugar R$ 3 mil.

O Brasil está entre os países classificados como “mega-diversos” e hospeda o maior número de espécies do mundo, com cerca de 46 mil plantas, mais de 1 mil anfíbios e 720 mamíferos. Estimativas apontam para o número de aproximadamente 1,8 milhão de espécies das quais a ciência catalogou cerca de 200 mil, apenas 11% dessa diversidade. O Brasil abriga entre 10% e 20% da biodiversidade mundial. O Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (SiBBR), apresenta atualmente informações de mais de 160 mil espécies com o número total de registros de ocorrência de mais de 17 milhões com o envolvimento de 150 instituições e 373 coleções biológicas.

“Ao disponibilizar de forma aberta um amplo conjunto de dados das espécies brasileiras e possibilitar o cruzamento de diversos estudos especializados, o SiBBR torna-se uma ferramenta essencial nas pesquisas acadêmicas e na gestão ambiental. Isso demonstra a importância da FINEP, do CNPq, da RNP e da UNESCO nessa parceria com o MCTI para que possa ser feito o levantamento apropriado e a preservação da biodiversidade brasileira”, avaliou o Secretário de Pesquisa e Formação Científica do MCTI, Marcelo Morales.

Presente na cerimônia, o coordenador de Ciências Humanas e Sociais e Ciências Naturais da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura Unesco, Fábio Leon destacou a importância do prêmio. “Para nós é uma grande satisfação participar desta premiação. A Unesco tem tradicionalmente apoiado diversas iniciativas que reconheçam boas práticas ligadas à ciência, tecnologia, biodiversidade no país. Reconhecemos a robustez do SiBBR esse importante repositório de dados que é referência para acadêmicos tanto do Brasil quanto de outros países”, declarou.

O presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP/MCTI) general Waldemar Barroso, destacou a atuação da instituição que coordena neste prêmio. “Como nosso ministro costuma dizer, o MCTI é uma caixa de ferramentas. A FINEP é uma dessas ferramentas. Atuamos no fomento de pesquisas em diversas áreas dentre elas a biodiversidade. Nosso país tem uma dimensão continental com diferentes biomas uma flora e fauna muito ricas. Iniciativas como essa são um importante estimulo para jovens cientistas e pesquisadores colaborando desta forma para impulsionar a ciência brasileira”, analisou.

Para o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), Evaldo Vilela o prêmio será importante para reconhecer a pesquisa científica realizada no país. “O CNPq tem um conjunto de prêmios e é muito gratificante quando oferecemos uma premiação a um pesquisador que teve méritos. O Brasil tem excelentes pesquisadores, muitos talentos e muitas entregas importantes que podem contribuir para o desenvolvimento econômico e sustentável do nosso país”.

A partir desta quarta-feira (22) começa o período de inscrições para o prêmio, que seguem até o dia 4 de março de 2022. O resultado final será divulgado no dia 19 de abril de 2022. Para se inscrever basta acessar o link.

Sobre o SiBBR

Desenvolvido sob coordenação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), com suporte técnico da ONU Meio Ambiente (UNEP) e apoio financeiro do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF), o Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (SiBBr) é uma infraestrutura nacional de dados e informações em biodiversidade. A plataforma é responsável pela organização, indexação, armazenamento e disponibilização de dados e informações sobre a biodiversidade e os ecossistemas brasileiros, fornecendo subsídios para a gestão governamental relacionada à conservação e uso sustentável. O MCTI é responsável pela implementação, desenvolvimento e sustentação do SiBBR e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP/MCTI) é responsável pela operacionalização.

Ararinha-Azul (Foto: divulgação/MCTI)

 

Fonte: ASCOM/MCTI