Apresentação

Publicado em 26/09/2013 08h45 Atualizado em 16/11/2015 05h16

Datam do século XIX as primeiras instituições a fazer a difusão da ciência para o grande público no Brasil, tais como o Jardim Botânico do RJ (1808), o Museu Nacional do RJ (1818), o Museu Paraense Emílio Goeldi (1868) e o Museu Paulista (1893). Mais recentemente, a partir da década de 1980, são criados novos centros de ciências e divulgação científica como o Espaço Ciência Viva, RJ (1983), o MAST/CNPq, no RJ (1985), a Estação Ciência, SP (1987), a Casa da Ciência, RJ (1995), o Espaço Ciência, PE (1995), o Museu de Ciência e Tecnologia da PUC/RS (1998) e o Museu da Vida, RJ (1999), dentre outros.

A formação do indivíduo, tanto nos seus aspectos básicos/fundamentais, quanto na sua formação científica, está cada vez menos restrita ao espaço escolar.  Novos espaços foram criados, principalmente com as novas mídias que surgiram a partir do advento da internet, permitindo formas virtuais de divulgação e popularização da ciência para o grande público.

Ganharam importância espaços complementares de formação do indivíduo, museus, centros de ciência, exposições, publicações etc - porque contribuem efetivamente para a cultura científica, expandindo o conhecimento e sua importância no cotidiano da vida social moderna e contribuindo para a conservação do patrimônio histórico e cultural e para a construção da identidade cultural do povo.

Segundo a Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciência - ABCMC, responsável pelo guia Centros e museus de ciência do Brasil de 2009, a área é marcada por um expressivo crescimento a partir da década de 1990, no Brasil. Enquanto na década de 1980 os dedos da mão eram mais do que suficientes para contar os centros e museus interativos do país, em 2005, na primeira versão deste guia, o número chegou a várias dezenas. Ainda de acordo com essa associação, somados zoológicos, jardins botânicos, planetários, aquários, museus de história natural e outros espaços que exploram a ciência e a tecnologia, esse número ultrapassa 200, dos quais 190 estão registrados na versão de 2009 do guia. (ABCMC: Centros e museus de ciência do Brasil 2009. Rio de Janeiro, 2009).