Notícias

Serviços voltam a funcionar no Jardim Botânico

Publicado em 08/04/2021 19h07 Atualizado em 09/04/2021 14h33
banner_volta_fase_amarela.jpg

Seguindo o Decreto Municipal nº 48706 de 2 de abril de 2021, que flexibiliza medidas de enfrentamento à pandemia de Covid-19, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro torna a funcionar, a partir de sexta-feira, 9 de abril, na Fase Amarela do seu Plano de Reabertura (Portaria JBRJ nº 76/2020), atendendo as determinações de horário para cada segmento.

Estão abertos:

- Arboreto - das 8h às 17h.

- Restaurante e café - das 8h às 18h; lanchonete - das 8h às 17h.

- Loja de souvenirs - das 10h às 17h.

- Centro de Visitantes, Cactário (canteiros), Bromeliário, Casa dos Pilões, Estufa de Mestre Valentim (Samambaias), Parque Infantil, Jardim Sensorial, Coleção Temática de Plantas Medicinais - das 12h às 17h.

A exposição sobre o Parque Nacional do Caparaó e os serviços de visita guiada a pé e em carrinho elétrico estão sendo oferecidos das 12h às 17h.

É aconselhável que os visitantes tragam suas garrafas com água, pois os bebedouros continuam lacrados por medida de segurança sanitária.

O ingresso de visitantes por hora permanece reduzido para 210 pessoas, o que corresponde a 40% do normal. Conforme estabelecido no Plano de Reabertura do JBRJ, as visitas devem ser agendadas previamente pelo sistema agendamentovisita.jbrj.gov.br.

O acesso ao Jardim continua a se dar exclusivamente pelo portão da Rua Jardim Botânico, nº 1008, para controle do fluxo de entrada. O visitante deve chegar à bilheteria dentro do horário agendado e pode permanecer no Arboreto até as 17h.

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro segue as Regras de Ouro da Prefeitura do Rio e entende sua missão neste momento com provedor de refúgio seguro ao ar livre e em contato com a natureza. As equipes de atendimento ao visitante estão treinadas para dar orientações e ajudar a proteger a saúde de todos.

É obrigatório o uso de máscara cobrindo boca e nariz durante a permanência no JBRJ, sendo dispensado para crianças até os 3 anos de idade, pessoas com transtorno do espectro autista, com deficiência intelectual, com deficiências sensoriais ou com quaisquer outras deficiências que as impeçam de fazer o uso adequado de máscara de proteção facial, conforme declaração médica, que poderá ser obtida por meio digital (Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020).