Notícias

A Flora do Brasil 2020 lança seus dados

Publicado em 23/02/2021 11h14 Atualizado em 23/02/2021 11h30
Flora_site-banner.jpg

Quantas e quais são as espécies de plantas nativas da Bahia, do Rio de Janeiro ou de qualquer estado brasileiro? Como identificá-las? Qual a dimensão da riqueza florística do nosso país conhecida pela ciência? Estas são algumas questões que agora têm resposta graças a um grande esforço coordenado pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ) nos últimos 12 anos: a elaboração da Flora do Brasil 2020, cujos resultados foram apresentados nesta terça-feira, 23 de fevereiro de 2021, em transmissão online.

Antes disso, a única obra que reuniu as informações necessárias para a identificação de todas as plantas nativas do país conhecidas até então era a Flora brasiliensis, iniciada por Martius em 1840 e concluída por seus colaboradores em 1906, ou seja, há 115 anos. A grande quantidade de conhecimento produzida pelos botânicos desde então se encontrava dispersa em uma infinidade de artigos, livros, listas, repositórios e acervos – inclusive no exterior.

A Flora do Brasil 2020 reúne, em uma plataforma online, toda essa informação e também imagens das plantas, algas e fungos brasileiros descritos pelos cientistas até o presente. Ela tem a vantagem de ser dinâmica, podendo ser atualizada diariamente com as novas descobertas. Para se ter uma idéia, aproximadamente 2100 espécies de plantas, fungos e algas brasileiras foram descritas como novas para a ciência entre 2015 e 2020. A plataforma permite também que esses dados sejam processados e acessados rapidamente, produzindo resultados que antes levariam anos para serem obtidos. 

O trabalho envolveu uma rede de 979 pesquisadores de 224 instituições em 25 países. Eles levantaram, organizaram e validaram todas as informações no sistema, onde incluíram as descrições, chaves de identificação e imagens para 375 famílias, 3.204 gêneros e 46.975 espécies de plantas, algas e fungos nativos do Brasil, 55% das quais são endêmicas do território brasileiro, ou seja só ocorrem no país. 

Essa entrega significa o atendimento de 92 % da Meta 1 da Estratégia Global para Conservação de Plantas (Global Strategy for Plant Conservation – GSPC) para 2020, documento que faz parte da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB), da qual o Brasil é signatário.

No evento também foi lançada a publicação Flora do Brasil 2020. Ela resume a história de como se construiu o conhecimento sobre as plantas brasileiras desde o século XVII até hoje, apresenta números e aponta rumos para a pesquisa nos próximos anos.

O projeto

A elaboração da Flora do Brasil Online 2020 teve início em 2008, com o projeto Lista de Espécies da Flora do Brasil, cujo objetivo era alcançar a Meta 1 da GSPC para 2010 – uma lista online de todas espécies de plantas, algas e fungos conhecidos pela ciência até então.

No mesmo ano, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) lançou duas iniciativas para digitalização das amostras de plantas em herbários no Brasil e no exterior: o Herbário Virtual Reflora, também coordenado pelo JBRJ, e o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) Herbário Virtual da Flora e dos Fungos. Juntos, eles disponibilizam quase 8 milhões de imagens online e subsidiam a Flora do Brasil 2020.

Em 2015 teve início o projeto Flora do Brasil Online 2020. A plataforma desenvolvida para a Lista de Espécies foi integrada ao sistema do HV Reflora e novas funcionalidades foram acrescentadas, possibilitando, entre outras coisas, a inclusão e disponibilização das descrições e chaves de identificação.
 
“A apresentação dos novos dados consolidados é um marco do projeto, apontando direções para o futuro. O Brasil é o país com maior diversidade de plantas do planeta e o que mais descreve novas espécies para a ciência”, afirma Ana Lúcia Santoro, presidente do Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

A pesquisadora Rafaela Campostrini Forzza, coordenadora da Flora do Brasil 2020, considera que “Apesar deste marco e do alcance de grande parte da Meta 1 da GSPC, nós botânicos ainda teremos muito trabalho nas próximas décadas. Ainda existem vastas áreas do território brasileiro que precisam ser visitadas e catalogadas, muitas amostras de herbário ainda carecem de boas identificações, muitos taxonomistas, especialmente pesquisadores de algas e fungos, precisam ser formados. Enfim, em um país megadiverso como o Brasil, estudar a biodiversidade vai ser sempre um desafio maravilhoso”. 

O projeto contou com apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia, por meio do CNPq e do Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira - SiBBr, e também da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro - Faperj.

Evento em 23/2

A apresentação dos resultados do projeto Flora do Brasil 2020 e lançamento da publicação homônima foram transmitidos ao vivo pelo canal do Jardim Botânico do Rio de Janeiro no Youtube. O evento contou com a presença com a presença da presidente do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Ana Lúcia Santoro, e da Secretária de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente, Maria Beatriz Palatinus Milliet.


Acesse:
Flora do Brasil (plataforma)
Publicação Flora do Brasil 2020
Publicação Flora do Brasil 2020 para mobile
Apresentação no Youtube

A
ssista: Flora do Brasil 10 anos