Notícias

Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica: vencedores

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) anunciou nesta quinta, 3, durante a 72ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o resultado do 17º Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica - Edição 2019.
Publicado em 03/12/2020 10h11 Atualizado em 16/12/2020 10h15

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) anunciou nesta quinta, 3, durante a 72ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC),  o resultado do 17º Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica - Edição 2019.  Os agraciados com o Prêmio na categoria Iniciação Científica são Bruno Pestana Rosa, na área de Ciências Exatas, da Terra e Engenharias; Lívia Maria de Oliveira e Souza, na área de Ciências Humanas e Sociais, Letras e Artes e Julya Emmanuela de Andrade Vieira, na área de Ciências da Vida. Os ganhadores na categoria Iniciação Tecnológica, por sua vez, foram Felipe André Zeiser, na área de Ciências Exatas, da Terra e Engenharias; Bheatriz  Silvano Graciano, na área de Ciências Humanas e Sociais, Letras e Artes e Nicolly  Espindola Gelsleichter, na área de Ciências da Vida. Na categoria Mérito Institucional, a instituição vencedora foi Universidade Federal de Viçosa (UFV).

A divulgação do resultado foi realizada em cerimônia virtual, na qual estavam presentes o Presidente do CNPq, Prof. Evaldo Vilela; a Diretora de Cooperação Institucional do CNPq, Profª Maria Zaira Turchi; o presidente da SBPC, Prof. Ildeu de Castro Moreira; além dos premiados. A UFV, instituição premiada na categoria do Mérito Institucional, foi representada por seu Reitor, Prof. Demetrius David da Silva.

Agraciados do 17º Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica do CNPq
foram conhecidos em evento virtual durante a Reunião Anual da SBPC.

Durante a cerimônia, o Prof. Evaldo Vilela exaltou a importância da iniciação científica para o país e lembrou que a modalidade existe desde a criação do CNPq. Segundo ele, atualmente, o CNPq investe R$ 135 milhões em cerca de 35 mil bolsas de Iniciação Científica e Tecnológica concedidas. A Profª Zaira Turchi, ressaltou o impacto do programa de iniciação científica na formação de cientistas e pesquisadores brasileiros e atentou para a grande capilaridade do programa, que alcança universidades federais, particulares e outras instituições de pesquisa em todo o país. Segundo a Diretora, o prêmio abre oportunidades para ex-bolsistas e também tem impacto na sociedade. Opinião compartilhada pelo Reitor da UFV, Prof. Demétrius, que afirmou que o programa estimula os bolsistas a refletirem sobre problemas enfrentados pela sociedade e, a partir de suas respectivas pesquisas, interferirem de forma ativa na melhora da qualidade de vida da população.

"Sem ciência não há desenvolvimento", completa o Reitor, para quem a iniciação científica é fundamental para despertar o interesse dos jovens na ciência. Ele afirma que os estudantes que passaram pela iniciação científica têm melhor desempenho nos processos seletivos para a pós-graduação e demonstram melhor desempenho quando ingressam nesses cursos. O Presidente da SBPC, Prof. Ildeu de Castro Moreira, citou, a esse respeito, observação de que indicadores já mostraram a relevância do programa de iniciação científica para a ciência brasileira. "Iniciação Científica é um programa prioritário", afirma. "É muito importante que todos nós estejamos juntos na valorização do CNPq", completa ele, ao comentar a importância do programa. O Professor Ildeu também salientou, na cerimônia, a relevância das meninas na ciência. Entre os seis bolsistas premiados, quatro são mulheres.

Os bolsistas agraciados receberão, cada um, quantia em dinheiro no valor bruto de R$ 7 mil e bolsa de Mestrado ou de Doutorado no País, a ser implementada no período de 24 meses, contados a partir da data da entrega do Prêmio. A premiação da categoria Mérito Institucional inclui troféu e 10 bolsas adicionais de PIBIC e/ou PIBITI na cota da instituição.

Importância da bolsa

Para os agraciados na 17ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica, ganhar o prêmio significa não só o reconhecimento pessoal pelo trabalho que desenvolveram, mas a recompensa dos esforços de várias pessoas que, de forma direta ou indireta, contribuíram para a pesquisa. Além de agradecer aos orientadores, colegas, família e pesquisadores que tiveram a oportunidade de conhecer ao longo do desenvolvimento do trabalho, todos os agraciados desta edição do Prêmio lembraram a importância da geração de conhecimento estimulada pelas bolsas de Iniciação Científica e de Iniciação Tecnológica e como as pesquisas sustentadas por essas bolsas podem complementar ou dar origem a outros trabalhos, conforme resume Bheatriz Silvano Graciano. ¿Gosto de pensar que esse prêmio não é singular, ele é símbolo de múltiplas pessoas envolvidas no processo de construção desse projeto de pesquisa, é a confirmação da importância de se propor novas linhas de pensamentos para problemas complexos como a sustentabilidade e é o reconhecimento da universidade pública como palco de desenvolvimento de ciência e de como ela traz possibilidade de novos desdobramentos na vida dos estudantes¿, afirma.

Segundo Felipe André Zeiser, a premiação é um estímulo à ciência brasileira, valorizando trabalhos de bolsistas que são o futuro da pesquisa. "O prêmio, para mim, é uma demonstração que minha pesquisa e trabalho está no caminho certo e que um dia ela possa ser útil de alguma forma para a sociedade¿, afirma Felipe. Para ele, a bolsa de IT para a pesquisa ofereceu muito mais oportunidades. "Acho que o networking que você consegue fazer quando se está inserido em uma bolsa de pesquisa contribui muito para o desenvolvimento pessoal. Você consegue evoluir em diversos aspectos que vão além do campo da sua pesquisa, por exemplo, conhecendo áreas além das abrangidas pelo seu curso de graduação, melhoramento da oratória e desenvolvimento de um pensar mais crítico, buscando o porquê das coisas", afirma Felipe. Ele ressalta que o fato de ter sido bolsista de IT foi fundamental para seu ingresso na pós-graduação.

O sentimento de Felipe é compartilhado pelos outros agraciados que, da mesma forma, salientaram outros benefícios ganhos com a pesquisa desenvolvida, como amadurecimento pessoal, aprendizado em trabalhar em equipe e contatos realizados durante pesquisa de campo. Todos afirmam querer continuar sua vida acadêmica na pós-graduação e lembram o papel do CNPq nesse processo. "O CNPq desempenha um papel vital na expansão e consolidação da ciência brasileira através de investimentos como esse prêmio, em trabalhos tanto de pesquisadores/as experientes quanto daqueles/as que estão em começo de carreira", reflete Lívia Maria de Oliveira e Souza.

Bruno Pestana Rosa, por sua vez afirma que a bolsa constitui uma oportunidade ímpar para que os estudantes desenvolvam pesquisas que impactem a vida das pessoas, retornando à sociedade tudo o que receberam. "O CNPq desempenha um papel essencial no desenvolvimento da ciência brasileira e no despertar de jovens talentos. A bolsa de iniciação científica é um incentivo para que os mais jovens integrem o mundo acadêmico se tornando jovens pesquisadores e nos estimula a dar o melhor de nós em nossas pesquisas", diz Bruno. Nicolly Espindola Gelsleichter faz coro com Bruno e com os outros premiados. "Acredito que temos muito potencial humano no Brasil e precisamos explorá-los e estimular o desenvolvimento de tecnologia nacional", salienta.

Alguns dos agraciados não se limitaram apenas a comentar os ganhos acadêmicos, pessoais e profissionais que receberam com as bolsas, mas mostraram também a face social e humana que se encontra implícita nas bolsas de Iniciação Científica e de Iniciação Tecnológica. De acordo com Julya Emmanuela de Andrade Vieira, o repasse mensal da bolsa foi de grande ajuda, inclusive para demonstrar que os pesquisadores não estavam desemparados. "Sem essa bolsa, em muitas situações, eu passaria um sufoco. Agradeço muito por tê-la¿, afirma ela. Bheatriz Graciano diz que é um privilégio ser contemplada com bolsa de estudo, para investir tempo integral na pesquisa. Além disso, a bolsa em muitos momentos auxiliou na minha permanência na universidade, e ampliou minha compreensão de como é trabalhar de fato com pesquisa", frisa.

O Prêmio

O Prêmio Destaque na Iniciação Científica foi instituído pelo CNPq em 2003 e é concedido de forma anual, com parceria da SBPC e da Academia Brasileira de Ciências (ABC). O objetivo é premiar bolsistas do CNPq de Iniciação Científica e de Iniciação Tecnológica que se destacaram durante o ano anterior, sob os aspectos de relevância e de qualidade do seu relatório final. Para cada uma dessas categorias são selecionados até três bolsistas, um para cada grande área do conhecimento (Ciências da Vida, Ciências Exatas, da Terra e Engenharias e Ciências Humanas e Sociais, Letras e Artes). Os relatórios dos bolsistas são encaminhados ao CNPq pelas coordenações do PIBIC e/ou PIBITI de cada instituição de ensino. Na categoria Mérito Institucional são premiadas instituições participantes do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), que contribuíram de forma relevante para o alcance dos objetivos do programa. À instituição premiada são concedidas como premiação de 5 a 20 bolsas adicionais de PIBIC e/ou PIBIT, a depender do número de bolsas dessa instituição concedidas por meio de chamadas do CNPq.

Assista ao vídeo da cerimônia em https://www.youtube.com/watch?v=Rmie_G2rCWg&feature=youtu.be