Notícias

Esporte de participação

Projeto que leva o vôlei a praças públicas de Minas Gerais vai receber mais de R$ 790 mil do Ministério da Cidadania

Objetivo é atingir 900 pessoas, entre crianças, adultos e idosos. Iniciativa será implementada nos municípios de Passos, Ipatinga e Uberlândia
Publicado em 18/02/2021 10h39 Atualizado em 23/02/2021 16h17
18022021_volei_praca.JPG

Foto: Ascom/FMVolei/Poliana Serra

Em tempos de pandemia de Covid-19, uma das recomendações dos especialistas é priorizar espaços ao ar livre. Aproveitar o ambiente externo para promover saúde e socialização por meio do esporte de forma gratuita é o intuito do Vôlei na Praça, projeto aprovado para receber recursos do Governo Federal, por meio da Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis) do Ministério da Cidadania.

O repasse autorizado no valor de R$ 793,6 mil, com vigência de um ano, foi publicado no Diário Oficial da União em 6 de janeiro. A verba será destinada à realização da iniciativa em três municípios mineiros: Passos, Ipatinga e Uberlândia. A meta é atingir em torno de 220 crianças e 80 adultos e idosos em cada uma das cidades.

"Em 2019, realizamos esse evento com os clubes, por iniciativa própria, em Belo Horizonte. Dali surgiu o desejo de fazermos algo mais estruturado, então procuramos a Snelis", conta o presidente da Federação Mineira de Vôlei, Tomás Mendes. "Já estamos com três municípios aprovados em Minas Gerais e cumprimos todos os trâmites de sistema. Já temos o pedido para dar sequência ao projeto em outras cidades", acrescenta.

Segundo o dirigente, a ideia de levar o vôlei para praças públicas é remeter o esporte a uma atividade mais lúdica. "Vamos montar uma estrutura com quadra principal e outras no entorno, piso e materiais oficiais e, ali, motivar a criançada, o público acima dos 40 anos e também idosos, para que disputem competições festivas. Todo mundo vai ganhar medalha e camisa", adianta.

"Teremos jogos, tabelas e a participação de diversas categorias, envolvendo pessoas que possam, em um sábado ou domingo, participar de uma competição oficial, mas de forma lúdica. Todos os participantes são vencedores", explica Mendes. Além disso, a programação prevê o cumprimento dos protocolos do Comitê Olímpico do Brasil (COB) para a segurança dos participantes contra o Covid-19, como medição de temperatura, limpeza dos calçados e uso de máscara até o início da partida.

"Um dos objetivos da Snelis é apoiar a realização de competições escolares e de participação, no exercício de uma cidadania ativa. Acreditamos que projetos como o Vôlei na Praça têm potencial de chegar a públicos de diferentes contextos e faixas etárias, o que incentiva a prática esportiva e resulta em qualidade de vida", comenta a secretária da Snelis, Fabíola Molina.

Com essa intenção de promover um maior interesse pela atividade física, o Vôlei na Praça pretende também contribuir com o combate à obesidade e ao sedentarismo, entre outros problemas enfrentados pela sociedade. Nessa busca, pode ganhar o apoio de importantes padrinhos.

"Queremos levar atletas de times que disputam a Superliga para que participem e brinquem. Em cada cidade teremos um padrinho. Vai ser legal ter um atleta de renome para que possa trazer experiência e brincar com os participantes. Estamos prevendo muitas ações legais", adianta Tomás Mendes.

Diretoria de Comunicação - Ministério da Cidadania