Notícias

Paradesporto

Paralimpíadas Escolares reúnem 900 alunos de todas as regiões do país em São Paulo

Evento tem abertura nesta terça, 23/1'1.. Competições em 13 modalidades serão até sexta-feira, no Centro de Treinamento Paralímpico de São Paulo
Publicado em 23/11/2021 14h55 Atualizado em 26/11/2021 16h21
23112021_paralimpíadas_escolares1150.jpg

Última edição das Paralimpíadas Escolares foram realizadas em 2019. Foto: Gustavo Cunha/ Min. Cidadania

Um dos principais eventos paralímpicos para atletas em idade escolar do mundo terá mais um capítulo ao longo desta semana, em São Paulo. As Paralimpíadas Escolares 2021 vão reunir mais de 900 alunos com deficiência, de 25 Unidades Federativas, para a disputa de 13 modalidades no Centro de Treinamento Paralímpico.

A abertura será nesta terça, 23.11, no complexo do Anhembi, em São Paulo. As disputas serão de quarta a sexta-feira. O programa esportivo contempla atletismo, basquete em cadeira de rodas (formato 3 x 3), bocha, futebol de 5 (para cegos), futebol de 7 (para atletas com paralisia cerebral), goalball, judô, natação, parabadminton, parataekwondo, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado. 

A novidade é a estreia do parataekwondo. A modalidade fez parte do programa dos Jogos Paralímpicos pela primeira vez nos Jogos de Tóquio, no Japão, há dois meses, e o Brasil conquistou lá três medalhas: um ouro, uma prata e um bronze. 

Secretário nacional de Paradesporto do Ministério da Cidadania, Agtônio Guedes vai acompanhar a abertura e o primeiro dia de competições. Segundo ele, o fato de o evento ser realizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro, responsável pela gestão dos esportes paralímpicos no país, permite que a entidade aproveite o evento escolar para pinçar para o alto rendimento atletas de destaque e de grande potencial.

“Uma dessas estratégias vem dos campings escolares, eventos que reúnem os melhores atletas de cada modalidade nas Paralimpíadas Escolares para treinamentos com treinadores das seleções nacionais”, disse Guedes. Esses eventos reúnem, ainda, técnicos dos estados para qualificação da preparação futura em todas as regiões do país.

O secretário citou, ainda, os festivais paralímpicos, realizados em todas as Unidades da Federação, que servem como porta de entrada de meninos e meninas com deficiência para o esporte adaptado, e a própria criação da secretaria do Paradesporto, que tem como uma das estratégias traçar políticas e parcerias para manter o país em evidência no cenário internacional. “Com todas essas articulações, o Brasil está no rumo certo para se firmar como top ten do mundo por muitos mais anos”, completou Guedes.

 

Logística e protocolos

As Paralimpíadas Escolares exigem grande logística de organização. Ao todo, serão utilizados três hotéis, 45 veículos para transporte na cidade (entre vans, ônibus e microônibus) e serão distribuídas mais de 14 mil refeições.  

O evento conta com rigorosos protocolos sanitários e, para aqueles com faixa etária contemplada no plano nacional de vacinação, será obrigatória a comprovação das doses da vacina contra Covid-19.

Em 2020, o evento não foi realizado em função da pandemia de Covid-19. Na última edição, em 2019, mais de 1.200 atletas participaram da competição, que contou com representantes de todos os estados e do Distrito Federal.  O estado de São Paulo venceu a edição de 2019 e se tornou o maior campeão, com oito títulos (2006, 2009, 2011, 2015, 2016, 2017, 2018 e 2019).

Diretoria de Comunicação - Ministério da Cidadania