Notícias

Patrocínio

Em solenidade no Palácio do Planalto, Caixa oficializa patrocínio ao skate e reforça posição como apoiadora do esporte nacional

Apoio a modalidades olímpicas e paralímpicas anunciado pelo banco soma R$ 82 milhões
Publicado em 01/06/2021 14h46 Atualizado em 01/06/2021 14h57
01062021_marcelo1150.jpg

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, o presidente Jair Bolsonaro e o secretário especial do Esporte, Marcelo Magalhães, ao lado de representante da Confederação Brasileira de Skate, durante cerimônia no Planalto que oficializou o patrocínio da Caixa a modalidades olímpicas e paralímpicas. Foto: Marcos Corrêa/PR

Em solenidade no Palácio do Planalto nesta terça (01.06), o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, apresentou um projeto de apoio ao esporte olímpico e paralímpico, com destinação de R$ 82 milhões em patrocínios para diversas modalidades, além de projetos sociais que dão assistência a crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social.

O skate, o atletismo, a ginástica e o movimento paralímpico precisam muito desse apoio. Nós, da Secretaria Especial do Esporte, vamos sempre incentivar a entrada das mais diversas entidades no patrocínio às modalidades olímpicas e paralímpicas, bem como aos projetos sociais, pois entendemos que é uma maneira eficiente de retorno às marcas, além de ser uma enorme demonstração de responsabilidade social. O esporte é parte fundamental de nossa sociedade"

Marcelo Magalhães, secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania

O evento contou com a participação do presidente Jair Bolsonaro; do vice-presidente, Hamilton Mourão; do secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Marcelo Magalhães; do secretário especial adjunto do Esporte, André Alves; e do secretário nacional de Paradesporto, José Agtônio Guedes Dantas, entre outras autoridades, atletas, ex-atletas, e representantes do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

Em maio, a Caixa anunciou a manutenção do patrocínio com a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), no valor de R$ 16 milhões para o período de junho de 2021 a junho de 2022; com a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), de R$ 30 milhões, por quatro anos, de maio de 2021 a maio de 2025; e com o Comitê Paralímpico Brasileiro, de R$ 24,7 milhões, para o período de junho de 2021 a junho de 2022.

Nesta terça, foi assinado o patrocínio com a Confederação Brasileira de Skate (CBSk), válido até junho de 2022, no valor de R$ 6,43 milhões. Além de viabilizar a participação dos atletas nos Jogos Olímpicos de Tóquio, o apoio permite a estruturação de projetos sociais para 3,2 mil atletas, 11 federações e três associações vinculadas à CBSk, além de possibilitar a realização de campeonatos profissionais e amadores. A modalidade, segundo a confederação, é a segunda mais praticada entre jovens de 8 a 18 anos no Brasil.

O skate também foi beneficiado em abril por uma decisão do Governo Federal que criou um destaque tarifário para skates de uso profissional, que passaram a ter uma alíquota de imposto de importação de 2%, e não mais de 20%. “Esse momento é especial para o skate brasileiro. Esse patrocínio vem reforçar a modalidade, que é sempre campeã, e todo o incentivo de desonerar impostos, de incentivar a base e a parte social vão trazer um novo momento para a modalidade”, comemorou Warleiton Leitão, representante do Conselho da CBSK.

Para o secretário Especial do Esporte, o exemplo da Caixa poderia ser seguido por outras estatais e entidades privadas, para que o esporte brasileiro, da base ao alto rendimento, desenvolva toda sua potencialidade. “O skate, o atletismo, a ginástica e o movimento paralímpico precisam muito desse apoio. Nós, da Secretaria Especial do Esporte, vamos sempre incentivar a entrada das mais diversas entidades no patrocínio às modalidades olímpicas e paralímpicas, bem como aos projetos sociais, pois entendemos que é uma maneira eficiente de retorno às marcas, além de ser uma enorme demonstração de responsabilidade social. O esporte é parte fundamental de nossa sociedade. O povo brasileiro ama praticar esporte e torcer por nossos atletas e eles precisam cada vez mais de apoio para desenvolver seus talentos e continuar a orgulhar nosso país”, afirmou Marcelo Magalhães.

Além do apoio direto às confederações e ao CPB, a Caixa mantém patrocínios a projetos sociais, no basquete em cadeira de rodas, na natação adaptada e no tênis, entre outros. “O que estamos buscando é mais do que um apoio específico da Caixa do ponto de vista de patrocínio. É um esforço amplo de ajudar a população brasileira”, afirmou Pedro Guimarães.

O presidente do CPB, Mizael Conrado, lembrou o histórico do apoio federal ao esporte paralímpico e comemorou a renovação do patrocínio. “A Caixa é parceira histórica do movimento paralímpico. Desde 2003 vem participando de todas as conquistas de maneira decisiva e para nós é um motivo de alegria e um motivo de celebração poder seguir rumo a mais títulos, mais medalhas e oferecendo sempre todas as condições mais adequadas para nosso atletas”.

O sentimento é o mesmo do vice-presidente do COB, Marco Antônio La Porta. “A Caixa é uma apoiadora do esporte brasileiro há tempos e esse apoio específico para confederações, particularmente no caso do atletismo, da ginástica e do skate, é importante. Vai permitir mais projetos para o desenvolvimento das modalidades e tenho certeza de que é um ganho enorme para o esporte brasileiro e a gente espera que seja extensivo para outras modalidades”.

“Por um momento desacreditei no esporte nacional até ter essa proximidade com o secretário especial do esporte, com o presidente da República e com o Pedro Guimarães e toda a equipe dele. Isso está fazendo uma diferença grande na realização e na continuação do esporte de alto rendimento. Isso está sendo fundamental para que a gente não caia no esquecimento”, afirmou Maurren Maggi, campeã olímpica no salto em distância nos Jogos de Pequim 2008.

Diretoria de Comunicação – Ministério da Cidadania