Notícias

COOPERAÇÃO

Escola Nacional de Administração Pública inicia serviços de recrutamento e seleção de dirigentes para estados e municípios

Primeiro processo será a seleção de coordenadores para a Prefeitura do Rio de Janeiro
Publicado em 25/03/2021 19h09

A Escola Nacional de Administração Pública (Enap) começou a ampliar seus serviços de recrutamento e seleção de profissionais. A ideia é levar a sua expertise na escolha de profissionais qualificados para o exercício de atividades de liderança e chefia em estados, municípios e diversos órgãos da Administração Pública Federal. O primeiro processo já está em curso e inclui a seleção de três coordenadores para a Prefeitura do Rio de Janeiro. O acordo entre as duas instituições foi publicado nesta quinta-feira (25/3) no Diário Oficial da União.

A parceria entre a Enap e o governo do município foi feita por meio de um Acordo de Cooperação Técnica (ACT) e não envolve a transferência de recursos. Os profissionais selecionados ocuparão cargos comissionados de direção e assessoramento da Subsecretaria de Transparência e Governo Digital: coordenador-geral de governo digital, coordenador-geral de atendimento ao cidadão e coordenador-técnico de proteção de dados.

“Esse projeto é um marco para a Enap, pois estamos ajudando a disseminar a cultura de trazer as melhores práticas de gestão de pessoas em seleções municipais. É importante que essas novas lideranças estejam alinhadas aos desafios de cada governo para que possam, assim, melhorar a capacidade de entrega de serviços para a população”, explica a coordenadora-geral de Seleção e Certificação de Competências da Enap, Bruna Éboli.

Para o subsecretário de Transparência e Governo Digital da prefeitura do Rio, Bruno Bondarovsky, essa é uma oportunidade de adotar uma metodologia que já mostrou resultados no âmbito federal. "Fui participante de um processo seletivo da Enap em 2019. Fiquei impressionado com a qualidade e o profissionalismo do time. Queremos trazer essa metodologia para a prefeitura do Rio e atrair os maiores talentos nacionais para o governo", explica.

De acordo com Bondarovsky, existe hoje um mercado de gestores públicos que têm como "missão" mudar o Brasil. "A prefeitura do Rio tem quadros muito qualificados e espero que os que se identificarem com a vaga também participem do processo", afirma o subsecretário.

Plataforma

As informações sobre os processos seletivos conduzidos pela Enap estão disponíveis no site da instituição e ficarão centralizadas numa plataforma dinâmica e acessível a todos os candidatos, que servirá como ponte entre os interessados nas vagas e o processo de seleção. Por meio da ferramenta, o candidato terá acesso aos cargos disponíveis e poderá encaminhar seu currículo para participar da seleção.

“A plataforma traz como uma de suas inovações o uso de inteligência artificial. Isso vai garantir mais agilidade ao processo e a criação de um banco de dados que relacione os candidatos, por meio de seus currículos, agrupando as competências comuns”, informa a coordenadora-geral de Seleção e Certificação de Competências da Enap.

A nova forma de seleção de profissionais para ocupar cargos em comissão (de direção e chefia) e funções gratificadas (essas últimas exclusivas para servidores com vínculo) em órgãos públicos começou a ser feita pela Enap em 2019. Pela primeira vez, o governo federal selecionou altos executivos, para cargos DAS 4, 5 e 6 – os mais altos na escala de cargos de direção e assessoramento – por meio de um processo seletivo.

“Apesar de serem cargos de livre nomeação, a escolha foi feita com o uso de metodologias reconhecidas e boas práticas nos processos seletivos do setor privado. Os candidatos foram avaliados por suas competências técnica e comportamental. É mais um passo para valorizarmos os servidores e profissionalizarmos a escolha dos dirigentes”, explica Bruna Éboli.

A metodologia utilizada nesses processos seletivos é inovadora, baseada no domínio da técnica, mas, principalmente na avaliação de competências comportamentais. Assim, a escolha não se resume ao currículo ou à formação do profissional, já que também são analisadas a trajetória profissional do candidato e sua capacidade de trabalhar em equipe.

Ampliação

A Enap já realizou 23 processos seletivos para órgãos do Executivo Federal, a exemplo dos Ministérios da Economia e da Agricultura, envolvendo 2,3 mil profissionais cadastrados e 282 profissionais avaliados. A partir de agora, a instituição oferece seus serviços a estados e municípios. De forma customizada, atendendo às necessidades de cada contratante, serão ofertadas a execução da seleção de profissionais ou a capacitação das equipes para este fim.

A execução do processo seletivo envolve desde a atração de candidatos, recrutamento e elaboração de metodologia de avaliação por competências até a indicação de profissionais para a entrevista final pelo órgão.

No contrato para capacitação, há a preparação dos profissionais para que eles façam sua própria seleção. Nesse caso, entre os serviços oferecidos pela Enap estão mentoria, capacitações, acompanhamento do processo, revisão de materiais e até mesmo oferta de espaço para realização de entrevistas.

Avaliação por competência

O modelo de avaliação por competências é um método moderno e bastante utilizado no Reino Unido, Estados Unidos, Chile e Peru. Esse sistema dá prioridade à análise de competência dos profissionais. Além da capacidade técnica em realizar as tarefas, avaliam-se também as chamadas competências comportamentais dos candidatos.

Para o governo federal, foram definidas sete competências essenciais a todo servidor público: trabalho em equipe, visão sistêmica, resolução de problemas com base em dados, orientação por valores éticos, foco nos resultados para os cidadãos, a comunicação e a mentalidade digital. No caso das lideranças, há outras nove competências essenciais com foco em pessoas, resultado e estratégia.