Reforma Tributária

A Reforma Tributária vai simplificar e modernizar o sistema tributário brasileiro, gerando impactos positivos na produtividade e no crescimento econômico do país. A meta é substituir o atual modelo, que é caro e complexo, por mecanismos modernos e mais eficazes.

A primeira parte da Reforma Tributária foi apresentada ao Congresso em 22 de julho, por meio do Projeto de Lei nº 3.887/2020, que prevê a criação da Contribuição Social sobre Operações com Bens e Serviços (CBS) em substituição à atual cobrança das alíquotas de PIS/Pasep e Cofins.

A nova CBS, com alíquota de 12%, é uma nova forma de tributar o consumo, alinhada aos mais modernos modelos internacionais de Imposto de Valor Agregado (IVA). Com a CBS será possível acabar com a cumulatividade de incidência tributária, com cobrança apenas sobre o valor adicionado pela empresa.

Etapas

Sob o lema de que “quando todos pagam, todos pagam menos”, a proposta de Reforma Tributária do Governo está sendo conduzida em fases distintas. Novas etapas serão apresentadas ao Congresso em breve.

Baixe as publicações

Tributária

Confira outras publicações do ME relacionadas a este tema

Saiba mais sobre a Reforma Tributária

Paulo Guedes defende Reforma Tributária ampla, prática e rápida

Em evento da Indústria, ministro da Economia assegurou que governo não vai aumentar impostos e falou em desoneração e redução do Custo Brasil visando à reindustrialização do país

CBS terá menor impacto sobre o consumo dos mais pobres, destaca SPE

Segundo a Secretaria, a alíquota média no orçamento das famílias com renda per capita de até R$ 89,00 é 0,6% inferior à observada pela PIS/Cofins

CBS reduzirá burocracia e custo de conformidade no sistema tributário brasileiro, diz SPE

Estudo da Secretaria conclui que nova contribuição incrementará a qualidade tributária