Notícias

Aplicação faz parte do Agro 4.0, onde a tecnologia é usada em todos os processos de tomada de decisões do setor

Uso de tecnologias espaciais no setor do agronegócio pode alavancar economia

Publicado em 16/10/2020 08h59

O uso de tecnologia espacial pode ser um divisor de águas no desenvolvimento das ações de diversos setores da economia, a exemplo do agronegócio. Em 2020, o Dia Nacional da Pecuária, comemorado em 14 de outubro, é celebrado em um novo momento, guiado pelo Agro 4.0, onde a tecnologia é usada em todos os processos de tomada de decisões do setor.

Entre as aplicações espaciais que podem ser importantíssimas para trazer avanços, estão o monitoramento e contagem de rebanhos, gerenciamento de água e medições do volume de produção. Além disso, há forte influência na logística, uma vez que o Governo Federal usa informações espaciais até mesmo para determinar quais obras de infraestrutura são necessárias.

Aumentar a produtividade do setor também é uma questão a ser debatida, por conta da grande extensão do território brasileiro. De acordo com Cristiano Trein, diretor de Governança do Setor Espacial da Agência Espacial Brasileira (DGSE/AEB), autarquia vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), “não existe outra maneira de gerenciar um país enorme como o Brasil sem os recursos de satélites”.

O diretor explica, ainda, que “a atividade espacial é entrega de valor no dia a dia da sociedade, em áreas como a indústria e o agronegócio”.

Acordo com o MAPA

A Agência Espacial Brasileira (AEB), autarquia vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), assinou Acordo de Cooperação Técnica com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), no último dia 07/10, para estimular o desenvolvimento de tecnologias e de aplicações espaciais para o setor agropecuário nacional.

O objetivo da parceria é impactar positivamente a produtividade e a qualidade do setor agropecuário. O resultado esperado é o estabelecimento de um novo patamar de alcance das tecnologias, produtos e serviços espaciais aplicados ao setor. O Acordo de Cooperação Técnica tem abrangência nacional e visa atingir a iniciativa privada, a academia, os institutos de ciência e tecnologia e os demais atores relevantes do Sistema Nacional de Desenvolvimento de Atividades Espaciais (Sindae).

Sobre a AEB

A Agência Espacial Brasileira é uma autarquia vinculada ao MCTI, responsável por formular, coordenar e executar a Política Espacial Brasileira. Desde a sua criação, em 10 de fevereiro de 1994, a Agência trabalha para viabilizar os esforços do Estado Brasileiro na promoção do bem-estar da sociedade, por meio do emprego soberano do setor espacial.

Coordenação de Comunicação Social – CCS

 

Ciência e Tecnologia