Notícias

Prazo de inscrição é até 4 de agosto para a competição que abrange conteúdos de Astronomia, Biologia, Física, História e Química e tem o objetivo de estimular o interesse pelas ciências naturais e identificar talentos

Olimpíada Nacional de Ciências atinge 2 milhões de inscritos

 

Escolas de todo o Brasil com alunos do 8º e 9º anos do ensino fundamental e do 1º ao 3º ano do Ensino Médio têm até 4 de agosto para inscreverem estudantes na Olimpíada Nacional de Ciências (ONC). A inscrição é gratuita e mais de 2 milhões de alunos já estão registrados para participar.

A competição abrange conteúdos de Astronomia, Biologia, Física, História e Química e tem o objetivo de estimular o interesse pelas ciências naturais, aproximar escolas dos institutos de pesquisa e sociedades científicas, identificar estudantes talentosos e promover a inclusão por meio do conhecimento.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, este ano os participantes de todos os níveis farão as provas da primeira fase totalmente online nos dias 6 e 7 de agosto. Também devido à paralisação das aulas, os estudantes de todos os níveis farão os exames com os conteúdos da série imediatamente anterior àquela que estão cursando em 2020.

O coordenador nacional da ONC, Jean Catapreta, explica como a competição se adaptou às mudanças impostas pelo isolamento.  “As provas da 1ª fase, que eram feitas até então nas próprias escolas, com impressão, aplicação e correção de maneira presencial de alunos e professores, serão realizadas de maneira remota, 100% online, com uso de tecnologia para que os estudantes possam realizar os exames de qualquer local, através do uso de computador, notebook ou telefone celular”, afirma.

A ONC é uma ação de popularização de ciência do MCTI e faz parte do programa Ciência na Escola. É uma realização da Sociedade Brasileira de Física, Associação Brasileira de Química, Instituto Butantan, Sociedade Astronômica Brasileira e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e organizada pela Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Sabia mais no site: https://onciencias.org/

 

 

Fonte: MCTI

Ciência e Tecnologia