Notícias

Brasil na Índia

Bolsonaro, ministros e empresários brasileiros debatem oportunidades de investimentos na Índia

Encontro foi o penúltimo compromisso da agenda do presidente Jair Bolsonaro na visita de Estado ao país asiático
Publicado em 27/01/2020 17h38
seminário brasil índia.jpg

Presidente Jair Bolsonaro e ministros durante a Sessão de abertura do Seminário Empresarial Brasil-Índia Foto: Alan Santos/PR

Durante o seminário empresarial Brasil-Índia, realizado no domingo (26) em Nova Delhi, o presidente Jair Bolsonaro, ministros e empresários brasileiros participaram de debate sobre oportunidades de investimentos em infraestrutura nas áreas de transportes, mineração, energia, petróleo e gás natural, entre outras.

O encontro foi o penúltimo compromisso da agenda de Bolsonaro na visita de Estado ao país asiático. O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, destacou que a presença do governo brasileiro no seminário foi o ponto alto da visita do presidente brasileiro à Índia.

Bolsonaro e o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, iniciaram, nos dias que precederam o seminário, ações no sentido de aproximação entre os dois países. Por meio da parceria estratégica, destacou o ministro, serão abrangidas áreas como comércio, investimento, agricultura, defesa, energia, ciência, tecnologia, inovação e vários outras.

“Pretendemos multiplicar por muitas vezes o comércio bilateral ao longo dos próximos anos. É uma meta ambiciosa, mas perfeitamente realizável e compatível com o grande potencial de nossas economias e a determinação de nossos líderes”, disse Araújo.

O chanceler destacou que a estratégia adotada na abertura econômica brasileira e na dinâmica do setor de comércio e investimentos está aproximando o País de grandes economias e atribuindo ao Brasil um novo papel na esfera internacional, que atualmente é o quarto no recebimento de investimentos diretos estrangeiros.

Em relação aos temas debatidos do fórum, Araújo ressaltou que o setor de etanol e biocombustíveis representam uma área de aproximação importante entre os dois países. “Temos interesses muito convergentes e já identificamos muitas oportunidades. Essa é uma outra área em que podemos trabalhar juntos, cada um com suas próprias políticas e seus próprios interesses”.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, lembrou que o Brasil é o maior produtor de etanol de cana-de-açúcar no mundo, e a Índia possui a maior indústria açucareira mundial. “Chegou o momento de unir os nossos esforços para tornar o etanol uma commodity global.”

Para Albuquerque, nenhum país crescerá como a Índia no campo da energia, e o Brasil também está crescendo rapidamente. “Quanto mais conhecermos a realidade um do outro país, mais oportunidades surgirão”.

Agronegócio

Durante a abertura do fórum, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, explicou que, durante as reuniões bilaterais realizadas antes do fórum, houve interesse da parte indiana em conhecer o sistema de plantio direto desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Para Cristina, o crescimento da atividade agropecuária e a sustentabilidade ambiental não são ideias conflitantes, já que o setor é um dos mais afetados com as alterações climáticas.  “O Ministério tem incentivado fortemente práticas de produção de baixa emissão de carbono, que incluem a recuperação de pastagens degradadas, a integração lavoura, pecuária, floresta, e o uso do plantio direto.”

Desenvolvimento

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, destacou o esforço de desburocratização realizado neste governo para tornar o ambiente de negócios propício às empresas. “Nós temos aí muitas oportunidades para empresas de todos os tamanhos e para muitas ideias que podem se desenvolver entre os dois países. Esperamos, por exemplo, possibilidades de ter centros de tecnologia da Índia instalados no Brasil, assim como o desenvolvimento de soluções conjuntas em startups dos dois países.”